Ministra da Saúde visita hospital de campanha e abrigo em Porto Alegre

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, visitou o hospital de campanha (HCamp) de Porto Alegre e o abrigo da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), na terça-feira (21), durante agenda no estado.

A chefe da pasta acompanhou atendimentos médicos, vacinação e acolhimento de desabrigados. Ela ainda coordenou uma reunião do Comitê de Operações Emergenciais (COE) para o Rio Grande do Sul. O RS passa por uma tragédia climática que já deixou 161 mortos e 82 desaparecidos até o momento.

Nísia passou parte da tarde no HCamp de Porto Alegre. Lá, ela conversou com pacientes e com a equipe da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS). A unidade está em operação desde 13 de maio e acumula 658 atendimentos.

 

“A força do trabalhador do SUS é essencial para a reconstrução do Rio Grande do Sul. Isso passa, sem sombra de dúvidas, pela assistência e cuidado com as pessoas. Essa missão é grande, importante e mostra como temos bases operacionais que nos permitem fazer o SUS funcionar”, comentou com trabalhadores da unidade.

 

Na passagem pelo abrigo da PUC-RS, a ministra conversou com famílias desabrigadas. Ela acompanhou o atendimento em saúde que é feito no local, onde atualmente estão alojadas 250 pessoas.

“Eu agradeço o trabalho. Pessoas que perderam tudo, se somaram ao trabalho do voluntariado. Temos gente que perdeu a casa, que está desabrigada, mas que está ajudando as outras pessoas que necessitam”, parabenizou.

 

ministra visita abrigo.jpg

Mais recursos

Na mesma agenda, a ministra da Saúde anunciou a destinação de mais R$ 202,2 milhões para a ampliação e manutenção da assistência no estado. Ao todo, a pasta já destinou mais de R$ 1,7 bilhão em recursos emergenciais.

Do valor total, R$ 135,9 milhões são de recursos para a reconstrução e fortalecimento da rede de saúde gaúcha. Ao todo, 33 municípios serão beneficiados.

O montante se divide em R$ 76,3 milhões oriundos do programa Novo PAC Seleções. Outros R$ 59,6 milhões serão liberados via portarias a serem publicadas.

Em outra frente de atuação, o Ministério da Saúde destinou R$ 66,3 milhões para investimento na compra de medicamentos, insumos, entre outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *