Brasil volta ao grupo das 10 maiores economias do mundo com resultado do PIB de 2023

O Brasil voltou ao grupo das 10 maiores economias do mundo, depois de registrar um crescimento de 2,9% no Produto Interno Bruto (PIB) de 2023.

Um levantamento da consultoria Austin Ratings — com base nos dados preliminares de PIBs em valores correntes que já foram divulgados por 54 países — mostra que o Brasil ultrapassou o Canadá e a Rússia, para ocupar a 9ª posição do ranking, com um PIB de US$ 2,17 trilhões no ano passado.

Em 2022, o país foi a 11ª maior economia do mundo, segundo dados do Fundo Monetário Internacional (FMI). Os Estados Unidos continuam liderando o ranking.

No ano passado, os EUA chegaram a um PIB de US$ 26,9 trilhões, seguidos pela China, com US$ 17,7 trilhões, e Alemanha, com US$ 4,4 trilhões.

Confira, abaixo, a lista das 10 maiores:

  1. Estados Unidos: US$ 26,9 trilhões
  2. China: US$ 17,7 trilhões
  3. Alemanha: US$ 4,4 trilhões
  4. Japão: US$ 4,2 trilhões
  5. Índia: US$ 3,7 trilhões
  6. Reino Unido: US$ 3,3 trilhões
  7. França: US$ 3 trilhões
  8. Itália: US$ 2,18 trilhões
  9. Brasil: US$ 2,17 trilhões
  10. Canadá: US$ 2,11 trilhões

Além do Brasil, o próximo país latino-americano na lista de maiores economias do mundo é o México, na 12ª posição, com um PIB de US$ 1,81 trilhão.

Maiores crescimentos percentuais

Já em relação ao crescimento percentual do PIB, o Brasil fica na 14ª posição do ranking, com a alta de 2,9%. O país que mais cresceu percentualmente de 2022 para 2023 foi a Mongólia, com alta de 7,10%, seguido por Índia (6,70%) e Irã (6,40%).

Veja a lista abaixo:

  1. Mongólia: 7,1%
  2. Índia: 6,7%
  3. Irã: 6,4%
  4. Filipinas: 5,6%
  5. Malta: 5,6%
  6. China: 5,2%
  7. Indonésia: 5%
  8. Vietnã: 5%
  9. Turquia: 4,5%
  10. Islândia: 4,2%
  11. Malásia: 3,7%
  12. México: 3,4%
  13. Hong Kong: 3,2%
  14. Brasil: 2,9%

Os Estados Unidos, apesar do maior PIB em valores correntes, ficam apenas na 18ª posição em termos de crescimento percentual, com alta de 2,5% em 2023.

O PIB do Brasil em 2023

Apesar do crescimento anual de 2,9%, o PIB brasileiro teve comportamento diferente no primeiro e no segundo semestre.

Na primeira parte do ano, a economia cresceu com mais força do que era previsto, registrando alta de 1,3% no primeiro trimestre e de 0,8% no segundo, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Esse crescimento foi puxado, sobretudo, pela agropecuária, que viveu um ano recorde em 2023, com uma alta de 15,1%, e impulsionou outros setores, como as exportações e a indústria de alimentos, por exemplo.

Já nos terceiro e quarto trimestres, o PIB ficou no zero a zero, nem cresceu nem subiu. Apesar da estabilidade, o setor de serviços se mostrou resiliente neste período, mesmo com os impactos dos juros altos da economia.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *