Sem Arrascaeta, Flamengo volta a lidar com falta de meias para reposição

Desde 2019, o Flamengo enfileirou títulos e deu alegrias à sua torcida com um quarteto ofensivo que anos depois se transformou, mas que tem em Arrascaeta o cérebro do ataque.

Mesmo com problemas de lesão em todos os anos, o uruguaio nunca teve uma reposição à altura. Novamente, esse cenário bate a porta, diante de nova ausência do craque, por até dois meses.

A diretoria do Flamengo, que estava no mercado para reforçar a equipe ciente da recuperação longa em curso, não colocou um meia como prioridade, e buscava apenas volante e ponta.

A última negociação na tentativa de trazer alternativas da posição foi no ano passado com o River Plate por Enzo Fernandes, meia argentino que acabou sendo negociado com o Benfica, de Portugal.

Na ocasião, o Flamengo também flertou com a possibilidade de repatriar Oscar, da China. No clube, a função tem além de Arrascaeta apenas os jovens Victor Hugo e Matheus França.

O primeiro retornou recentemente de lesão. Já o segundo tem tido oportunidades com Vítor Pereira e alia mais uma função de articulador com a de um atacante, similar ao uruguaio.

Com características de jogar mais pelos lados há, além de Ribeiro, Marinho, Cebolinha e também o garoto Matheus Gonçalves, do sub-20.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *