Rescaldo após incêndio em galpão no Galeão atravessa a madrugada; ainda há fumaça no local

O Corpo de Bombeiros ainda faz, na manhã desta quinta-feira (19), o trabalho de rescaldo no terminal de cargas do aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. Ainda há fumaça no local. Já são 17 horas de trabalho.

Mais de 60 militares de 13 unidades trabalham no rescaldo, com o apoio de 13 viaturas.

O incêndio começou por volta de 13h40 de quarta-feira (18) e só foi controlado no fim da tarde, de acordo com os bombeiros.

Ninguém se feriu, mas a Polícia Civil vai periciar o local assim que o trabalho dos militares acabar e não houver mais riscos de novos focos de incêndio. A causa ainda é desconhecida, segundo a concessionária RioGaleão.

Ainda de acordo com a concessionária, nenhuma carga que estava guardada no galpão foi afetada. Mas dois helicópteros foram destruídos pelas chamas. Empilhadeiras e máquinas também foram perdidas.

O incêndio provocou uma fumaça preta gigantesca no céu da cidade. A “nuvem negra” deixou muitos moradores assustados. A imagem foi filmada e fotografada por pessoas de diferentes pontos da cidade. Em determinado momento da tarde, a palavra “Galeão” entrou nos “Trending Topics” do twitter. O assunto viralizou nas redes sociais.

O Corpo de Bombeiros disse que não foi acionado por meios oficiais e que mobilizou equipes depois que tomou ciência pela imprensa.

“A gente teve conhecimento inicial pelos canais televisivos. A gente não mobilizou os recursos através de uma ligação 193. A gente tomou conhecimento através da nossa busca ativa. E lá a gente teve conhecimento e logo assim a gente despachou as primeiras viaturas. É importante destacar que a cada minuto que a gente perde o incêndio cresce, ganha força e mais objetos são destruídos”, falou o Major Fábio Contreiras.

Já a concessionária diz que acionou os bombeiros três minutos depois que soube do incêndio.

“A concessionária esclarece que o centro de emergência do RIOgaleão recebeu o alerta às 13h44 e fez o acionamento imediato do Corpo de Bombeiros, pelo número 193. A Concessionária reforça que cumpre todos os protocolos de excelência de segurança operacional que regulamentam a atuação aeroportuária no país, e reitera a importância da parceria com o Corpo de Bombeiros nas ações preventivas e nas de emergência”, diz a nota.

A brigada de incêndio do aeroporto chegou no local quando o incêndio já tomava o galpão.

“Com brigada a gente vai trabalhar juntos, é ótimo. Sem brigada, a gente vai trabalhar sozinho. Mas independente da estrutura, sempre acionar o quanto antes o corpo de bombeiros”, disse o major dos bombeiros.

Uma avaliação será necessária para entender se o galpão sofre riscos de desabamentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *