Prefeitura do Rio inaugura o Super Centro Carioca de Cirurgia em Acari

Durante inauguração, Paes anúncio que a Zona Oeste também vai ganhar um novo Super Centro de Saúde, e que o Rio terá 300 novos médicos em parceria com o Ministério da Saúde

A Prefeitura do Rio inaugurou, nesta sexta-feira (7/7), o Super Centro Carioca de Cirurgia (SCCC), nas novas instalações do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla (HMRG), em Acari. O projeto faz parte do programa anunciado pelo presidente Lula em fevereiro, em evento no Super Centro Carioca de Saúde (SCCS), para ampliar a oferta de cirurgias no Sistema Único de Saúde, reduzindo as filas de espera no Sisreg. Com um total de 13 salas cirúrgicas, o SCCC tem capacidade para realizar 30 mil procedimentos cirúrgicos por ano.

– Nós já vivemos um período muito difícil na Saúde, quando assumimos uma rede desmontada e ainda mais naquele momento complicado da pandemia. Temos agora uma ministra que é do Rio, capaz, que fez um excepcional trabalho na Fiocruz e que acredita no SUS, nessa saúde pública que tentamos construir. É muito bom poder inaugurar esse Super Centro Carioca de Cirurgia, mas se conseguimos construir isso aqui é porque apostamos no governo federal e na capacidade de fazermos juntos uma saúde pública de qualidade. E eu já quero anunciar aqui que vamos fazer um Super Centro na Zona Oeste  – afirmou o prefeito Eduardo Paes.

O evento contou com a presença da ministra da Saúde, Nísia Trindade, que elogiou as novas instalações do Super Centro Carioca de Cirurgia.

– Quero agradecer a todos esses trabalhadores que são comprometidos com o SUS, porque eu sei o que é ter uma situação deteriorada no setor de saúde. Nós, gestores, precisamos trabalhar juntos para que a política na saúde seja em defesa da população. Fiquei também muito feliz porque o secretário Daniel Soranz vai destinar 300 vagas para o programa Mais Médicos aqui no Rio de Janeiro. É assim que nós poderemos avançar. A nossa equipe é comprometida com o SUS.  – disse a ministra.

Entre 2022 e 2023, o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla recebeu investimentos de mais de R$ 123 milhões em reformas, obras de ampliação e equipamentos de última geração. O antigo centro cirúrgico passou por obras estruturais e foi transformado no Super Centro Carioca de Cirurgia, com capacidade aumentada de oferta de procedimentos em diversas especialidades. Equipado com aparelhos de alta tecnologia, o SCCC tem estrutura de excelência em uma área total de 930m². Das 13 salas cirúrgicas, nove são equipadas para procedimentos por vídeo. A estrutura conta ainda com o Centro de Especialidades Cirúrgicas, onde são realizadas consultas e procedimentos cirúrgicos de menor porte.

Com os investimentos recebidos desde o ano passado, o Ronaldo Gazolla já é o maior prestador de serviços cirúrgicos da rede municipal de saúde e a capacidade operacional será potencializada nos diversos procedimentos realizados: hernioplastia, colecistectomia videolaparoscópica, litotripsia, vasectomia, hidrocele, postectomia, escleroterapia, laqueadura por vídeo, hemorroidectomia, tireoidectomia e correção de fissura e fístula. Apenas neste ano, o hospital já realizou mais de 15,7 mil procedimentos cirúrgicos.

– A expectativa é que a gente consiga realizar aqui 30 mil cirurgias por ano, isso corresponde a 20% da nossa fila de espera. A ideia é que esse hospital faça parte do programa do Ministério da Saúde para reduzir as filas cirúrgicas do Sistema de Regulação e, obviamente, acelerar o tempo de atendimento dos usuários do Sistema Único de Saúde na cidade do Rio de Janeiro – destacou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

Mais ampliações

O HMRG também passou por ampliação de seu complexo ambulatorial, que recebeu novos equipamentos e conta agora com cinco centros de especialidades em sua estrutura: Centro de Especialidades Médicas, Centro de Reabilitação, Centro de Diagnóstico Cardiológico, Centro de Diagnóstico Endoscópico e Centro de Diagnóstico por Imagem. Assim, o investimento em novos equipamentos, tecnologia e infraestrutura amplia também a capacidade de consultas e exames, sem abrir mão do olhar cuidadoso e humanizado voltado aos pacientes e seus familiares.

Almir Rangel, de 61 anos, está internado no Hospital Ronaldo Gazolla há uma semana para fazer uma cirurgia de hérnia umbilical. Ele aguarda apenas melhorar de um problema cardíaco para ser operado nos próximos dias.

– O hospital é de primeira, está tudo novinho, uma beleza. Todo mundo aqui é competente, estou recebendo um ótimo atendimento. Isso me deixa muito tranquilo para realizar a cirurgia. Dá uma segurança ver o pessoal trabalhando com tanto entusiasmo, dedicação, profissionalismo e amor.

O complexo ambulatorial tem capacidade para oferecer uma média de 17 mil atendimentos por mês (considerando números deste ano), em mais de 20 especialidades disponíveis. Sua área física foi dobrada com ambientes acolhedores, devidamente equipados e sinalizados e com instalações confortáveis para o atendimento aos usuários.

Já o Centro de Diagnóstico compreende três centros especializados: Endoscópico, Cardiológico e Imagem. Todos estão equipados com tecnologia de ponta e profissionais qualificados para oferecer exames confiáveis e precisos, que auxiliam no tratamento adequado ao usuário. No Centro de Diagnóstico é possível realizar exames de tomografia computadorizada, raio-X, ultrassonografia, ecocardiograma, doppler venoso, doppler arterial, Mapa 24h, holter, teste ergométrico, endoscopia, colonoscopia e broncoscopia. Serão realizados mais de sete mil exames de imagem, por mês, com as novas instalações.

Tecnologia para monitorar os pacientes internados

Outra entrega do HMRG é a Central de Monitoramento Assistencial, que utiliza tecnologias de controle de parâmetros dos pacientes para fornecer dados em tempo real da evolução clínica das pessoas internadas. Trata-se do maior centro de monitoramento assistencial do país, que conecta todos os 420 leitos do hospital.

O sistema monitora os indicadores de saúde e sinais vitais dos pacientes, como batimentos cardíacos, pressão sanguínea, temperatura, frequência respiratória, saturação de oxigênio, entre outros. Em caso de qualquer alteração, sinais de alerta são emitidos da sala de controle e os profissionais são acionados imediatamente, podendo agir de forma rápida. Isso garante agilidade e precisão no atendimento, reduzindo o tempo de intervenção no caso de instabilidade clínica do paciente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *