14 de julho de 2024

TV Prefeito

Portal de notícias dos municípios com videos e entrevistas. Cobertura diária das cidades das regiões: Metropolitana, Serrana, Lagos, Norte, Noroeste, Médio Paraíba e Centro Sul do estado do Rio de Janeiro. O melhor da notícia está aqui.

Mitos e verdades sobre o diabetes, que atinge 12 milhões de brasileiros

Você sabe o que é Diabetes? Trata-se de uma condição crônica e sem cura na qual o corpo não produz insulina suficiente ou não consegue usar eficazmente a que produz. A insulina, que é um hormônio secretado pelo pâncreas, é essencial para transformar o açúcar, amido e outros alimentos em energia. Sem ela, os níveis de glicose no sangue aumentam, uma condição chamada hiperglicemia, principal característica do diabetes. A doença, se não tratada, pode gerar danos nos rins, olhos, coração, nervos, vasos sanguíneos, entre outras complicações.

Segundo dados do Ministério da Saúde, estima-se que cerca de 12 milhões de brasileiros convivam com o diabetes, o que representa aproximadamente 7% da população adulta do país. Em todo o mundo, são 250 milhões de pessoas com a doença, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), que faz um alerta: o número de casos dobrará até 2030.

Em alusão ao Dia Nacional do Diabetes, nesta quarta-feira (26), convidamos dois endocrinologistas da Rede Ebserh para esclarecer mitos e verdades sobre a doença: a endocrinologista do Hospital Universitário Antônio Pedro da Universidade Federal Fluminense (HUAP-UFF), Camila Vicente dos Santos, e o chefe do Serviço de Endocrinologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC-UFPE) e professor titular de Endocrinologia da UFPE, o endocrinologista Lucio Vilar.

Diabetes é uma doença silenciosa? Verdade

“Verdade quando falamos em diabetes tipo 2. Indivíduos com diabetes tipo 2 geralmente têm poucos ou nenhum sintoma durante longos períodos, já que os clássicos (aumento da sede e do volume urinário e perda de peso não explicada) só acontecem quando os níveis de glicose no sangue já estão muito elevados, em geral, acima de 180 mg/dL. Desta forma, é importante o rastreio para este tipo de diabetes”.

Camila Vicente dos Santos – endocrinologista do HUAP-UFF

Diabetes é causada pelo consumo de açúcar? Mito

“Apesar de haver fatores externos relacionados ao desenvolvimento de diabetes, fatores genéticos desempenham um papel importante na propensão à doença. O diabetes tipo 2 está frequentemente associado à obesidade, ao envelhecimento e a alterações genéticas que favorecem a resistência à ação da insulina e redução da função das células beta pancreáticas, responsáveis pela produção de insulina. Já o diabetes tipo 1 é causado por destruição autoimune das células beta do pâncreas, o que leva a uma deficiência grave da secreção de insulina”.

Camila Vicente dos Santos – endocrinologista do HUAP-UFF

Diabetes tipo 1 e tipo 2 são a mesma coisa? Mito

“O diabetes mellitus tipo 2 (DM2) responde por 90-95% dos casos de diabetes. Resulta de secreção deficiente de insulina e dificuldade da insulina em depositar a glicose no músculo esquelético, nas células gordurosas e no fígado. Daí, a glicose aumenta no sangue. Já o diabetes melittus tipo 1 (DM1) decorre de destruição autoimune das células beta pancreáticas (responsáveis pela secreção de insulina). Responde por 5-10% dos casos de diabetes”.

Lucio Vilar – endocrinologia do HC-UFPE

Apenas pessoas com sobrepeso têm diabetes? Mito

“O DM1 é independente do peso corporal. Já o DM2 é mais frequente em que tem sobrepeso ou obesidade”.

Lucio Vilar – endocrinologia do HC-UFPE

O açúcar das frutas é mais saudável e por isso pode ser consumido à vontade? Mito.

“Apesar do açúcar contido nas frutas ser natural, elas não devem ser consumidas à vontade em pacientes com diabetes. É recomendado que o consumo seja equilibrado junto com os vegetais, totalizando aproximadamente 5 porções ao dia, garantindo, dessa forma, uma adequada ingestão de vitaminas e minerais.”

Camila Vicente dos Santos – endocrinologista do HUAP-UFF

Quem tem diabetes não pode comer carboidratos? Mito

O paciente com DM pode consumir carboidratos, porém com moderação. Deve-se evitar os carboidratos simples (p.ex., sacarose [o açúcar]), cuja absorção intestinal  é muito rápida.

Lucio Vilar – endocrinologia do HC-UFPE

Diabetes tem cura? Mito.

A princípio, o DM não tem cura. Reversão do DM2 pode acontecer em pacientes obesos submetidos à cirurgia bariátrica.

Lucio Vilar – endocrinologia do HC-UFPE

Exercício físico ajuda a controlar o diabetes? Verdade.

“O exercício físico, adequadamente orientado e praticado, exerce um papel importante no controle da glicemia e redução do risco cardiovascular de pacientes com diabetes. Para indivíduos com pré-diabetes, praticar 150 minutos por semana de atividade física aeróbica de moderada intensidade reduz o risco de diabetes tipo 2. Para pessoas com diabetes tipo 2, a prática de exercícios combinados resistidos (pelo menos 1 ciclo de 10 a 15 repetições de 5 ou mais exercícios, duas a três sessões por semana, em dias não consecutivos) e aeróbicos (no mínimo 150 minutos semanais de moderada ou equivalente de alta intensidade, sem permanecer mais do que dois dias consecutivos sem atividade) promovem reduções significativas da hemoglobina glicada”.

Camila Vicente dos Santos – endocrinologista do HUAP-UFF

É possível ter diabetes e manter uma vida saudável? Verdade.

“O indivíduo com diabetes que recebe adequadas orientações nutricional e quanto a realização de exercício físico, tem uma vida muito saudável”.

Camila Vicente dos Santos – endocrinologista do HUAP-UFF

Sobre a Ebserh – Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Ebserh foi criada em 2011 e, atualmente, administra 45 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência. Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) ao mesmo tempo que apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas e inovação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *