Economia Azul: Governo do Estado atrai 194 startups internacionais para hub tecnológico

O Governo do Estado, por meio da Secretaria do Ambiente e Sustentabilidade, apresenta, no próximo dia 11/4, os primeiros resultados do BlueRio, programa que regulamentou e implementou um hub de startups com soluções para os desafios ambientais do Rio de Janeiro. Ao todo, foram 289 startups inscritas, dentre as quais 194 são internacionais, representando 47 países de todos os continentes.

–  O BlueRio vem ao encontro do momento estratégico que o nosso estado atravessa, em um ano de grandes encontros e acordos internacionais pelo G20, com importantes investimentos em políticas ambientais e promovendo a sinergia entre o desenvolvimento econômico e a adaptação às mudanças climáticas – destacou o governador Cláudio Castro.

Conhecido pela vanguarda em estudos e políticas ambientais no território brasileiro, o Estado do Rio de Janeiro se coloca mais uma vez na liderança, visto que a iniciativa é inédita na América Latina. O BlueRio é um programa colaborativo dedicado à economia do mar, pioneiro e realizado em parceria da secretaria com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro e com consultoria de inovação aberta da Beta-i Brasil.

O hub de inovação, que atraiu startups com soluções tecnológicas para oito empresas parceiras vinculadas à economia do mar, além da própria pasta ambiental, é inspirado em iniciativas de sucesso ao redor do mundo e reúne empresas de diversos perfis de inovação. O objetivo é concentrar soluções analisadas localmente para cinco macro áreas estratégicas de impacto para o território Fluminense: Saneamento, Portos e Logística, Navegação, Sustentabilidade e Energia.

–  É com grande orgulho que veremos os novos frutos do BlueRio em prol da Economia Azul ao longo dos próximos meses, sempre visando a otimização da economia em sinergia com nossa biodiversidade – afirmou o secretário do Ambiente e Sustentabilidade, Bernardo Rossi.

Soluções tecnológicas para navegação

Entre as parcerias já em desenvolvimento nesta primeira temporada do BlueRio, está o acordo celebrado entre a empresa marítima Wilson, Sons e a startup TideWise. A cooperação, já em processo adiantado, visa monitorar a profundidade das águas navegáveis com alta precisão. A partir do rastreamento, criam-se mapas detalhados do fundo do mar e rios, identificando áreas rasas, obstáculos submersos ou quaisquer outros perigos que possam representar riscos para a navegação.

A tecnologia empregada pela proposta monitora os possíveis obstáculos por meio da emissão de pulsos sonoros para o fundo do mar ou canal, medindo o tempo de retorno e, assim, calculando o risco. O mapeamento dos sensores gera arquivos em 2D e 3D que orientarão as embarcações a evitarem possíveis obstáculos fixos e móveis que possam causar um dano mútuo, como rochas e tartarugas. Uma parceria semelhante está já em desenvolvimento entre a TideWise e o Porto do Açu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *