22 de julho de 2024

TV Prefeito

Portal de notícias dos municípios com videos e entrevistas. Cobertura diária das cidades das regiões: Metropolitana, Serrana, Lagos, Norte, Noroeste, Médio Paraíba e Centro Sul do estado do Rio de Janeiro. O melhor da notícia está aqui.

Concurso do Banco do Brasil registra mais de 1,3 milhão de inscrições; veja dicas para fazer a prova

A prova para o concurso do Banco do Brasil está chegando. Neste ano, 6 mil vagas serão ofertadas para o cargo de escriturário, com salário inicial de R$ 3.622,23. O exame está previsto para acontecer no dia 23 de abril, e as inscrições já foram encerradas. 

O último concurso do BB aconteceu em setembro de 2021, com 4.480 vagas para escriturário. Quase dois anos depois, o número foi ampliado. Ao todo, serão 6 mil vagas, sendo 4 mil de início imediato e 2 mil de cadastro de reserva. Metade das vagas são para agente comercial, e a outra metade para agente de tecnologia.

De acordo com dados divulgados pelo banco na quarta-feira, 15, o concurso alcançou a marca de 1,5 milhão de inscritos, sendo o segundo maior da história da instituição. Mais de 1,3 milhão de inscrições foram para a vaga de agente comercial, enquanto 130 mil são para agente de tecnologia.

O candidato precisa apresentar certificado de conclusão de ensino médio e ter 18 anos (completos até o dia da contratação). A data prevista para a divulgação dos resultados preliminares é dia 5 de junho, e para os resultados finais é 14 de julho. A banca organizadora é a Fundação Cesgranrio.

Dicas para ir bem na prova

Com a proximidade dos exames, o professor Luiz Rezende, do QConcursos, afirma que uma das principais atividades que devem ser desenvolvidas é a revisão de provas anteriores.

“Nestes últimos dias, é fundamental realizar o estudo remissivo, através de provas anteriores da Cesgranrio, pois se trata de uma banca organizadora que repete muito os temas e tem um estilo de questões muito recorrente, para isso podemos pegar as 3 versões das provas do Banco do Brasil de 2021 ou a recente prova do Banrisul”, explica.

Outro ponto levantado pelo professor é a intensificação da carga horária de estudos. Rezende explica que “a qualidade dos estudos dá muito mais resultados do que a quantidade”. Para o dia da prova, ele afirma que o ideal é que o candidato conheça o local em que realizará o teste, tendo visitado antes e calculado o tempo médio para chegar uma hora antes dos portões fecharem.

Dicas para a redação

Heitor Ferreira, professor de redação do QConcursos, dá dicas para quem quer se sair bem na parte discursiva da prova. “É muito importante acompanhar acontecimentos nacionais e estaduais, entender algumas alterações políticas, sociais e culturais, e acima de tudo, produzir dissertações com perfis diferentes, optando por ter uma qualificação para escrever temas transversais, evitando assim surpresas no dia da prova”, afirma.

Para desenvolver o tema, uma das dicas do professor é fazer o uso do brainstorming -tempestade de ideias, que nada mais é do que transferir para o papel, após a leitura da coletânea, tudo o que se conhece sobre o tema. Assim, é possível achar a ideia central do texto, “sem perder a coesão e coerência textual”.

Ferreira também aponta erros comuns, como: uso de clichês, expressões coloquiais e gírias, rebuscar demais as palavras, provérbios e citações sem critério e defender um ponto de vista radical. Sobre o tema, o professor explica que apesar de poder variar de acordo com o cargo pretendido e o tipo de prova realizada, existem algumas temáticas recorrentes.

Dez temas citados pelo professor:

-Desafios da educação no Brasil;
-Impacto da tecnologia na sociedade contemporânea;
-O papel dos bancos no desenvolvimento econômico do país;
-A importância da sustentabilidade e preservação ambiental;
-A desigualdade social e econômica no Brasil;
-A questão da segurança pública no país;
-Os impactos da pandemia da COVID-19 na economia e na sociedade brasileira
-Os direitos e deveres do consumidor;
-A importância da ética e da transparência no mundo corporativo;
-O papel da cultura e das artes na sociedade contemporânea.

Como é a prova

A parte discursiva é composta pela redação, que tem caráter eliminatório e para ser habilitado no certame, é necessário atingir o mínimo de 70 pontos dos 100 válidos. Segundo o edital, a redação deve ser estruturada na forma de texto em prosa do tipo dissertativo-argumentativo.

Já na parte objetiva, são 70 questões de múltipla escolha, com cinco alternativas cada, sendo 25 de conhecimentos básicos e 45 de conhecimentos específicos, que dependerão da área escolhida.

Questões de conhecimentos básicos:

-Língua portuguesa: 10 questões, com valor de 1,5 ponto cada;
-Língua inglesa: 5 questões, com valor de 1,0 ponto cada;
-Matemática: 5 questões, com valor de 1,5 ponto cada;
-Atualidades do mercado financeiro: 5 questões, com valor de 1,0 ponto cada.

Questões de conhecimentos específicos:

Agente de Tecnologia

-Probabilidade e Estatística: 5 questões, com valor de 1,5 ponto cada;
-Conhecimentos Bancários: 5 questões, com valor de 1,5 ponto cada;
-Tecnologia da Informação: 35 questões, com valor de 1,5 ponto cada;

Agente Comercial

-Matemática Financeira: 5 questões, com valor de 1,5 ponto cada;
-Conhecimentos Bancários: 10 questões, com valor de 1,5 ponto cada;
-Conhecimentos de Informática: 15 questões, com valor de 1,5 ponto cada;
-Vendas e Negociação: 15 questões, com valor de 1,5 ponto cada.

Salário e benefícios 

Outra novidade é o aumento do salário inicial, que passou de R$ 3.022,37 (valor oferecido em 2021) para R$ 3.622,23. Os benefícios também chamam a atenção dos concurseiros. São oferecidos:

-Auxílio-creche;
-Plano de saúde;
-Vale-transporte;
-Plano odontológico básico;
-Previdência complementar;
-Auxílio a filho com deficiência;
-Participação nos lucros e resultados;
-Cesta alimentação (R$ 799,38);
-Auxílio-alimentação/refeição (R$ 1.014,42).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *