Prefeitura e UFRJ realizam palestras sobre esporte

A Secretaria Municipal de Esporte, em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ), realizou uma manhã de palestras educativas no auditório do Paço Municipal (sede da prefeitura), nesta terça-feira (21). O evento reuniu atletas e servidores da secretaria interessados nos temas abordados para aplicação no cotidiano do esporte e na profissão: “Conhecendo a Rotulagem Nutricional para Fazer Escolhas Alimentares Conscientes” e “Efeitos da Ingestão de Cafeína no Exercício Físico”.
O primeiro tema foi ministrado pela nutricionista Bianca Almeida e o segundo, pelo professor e pesquisador Anderson Pontes Morales, ambos do Laboratório de Pesquisa e Inovação em Ciências do Esporte (Lapice), da UFRJ-Macaé, parceiro da Secretaria de Esporte nos estudos que avaliam atletas de alta performance. “É o momento para aprendizado, para aplicar no dia a dia, para quem quer conhecer nossos programas e se aperfeiçoar para uma vida saudável”, destacou o Secretário de Esporte, Rodrigo Caldeira, que participou do evento.
Bianca Almeida falou sobre a nova rotulagem de alimentos no país que visa ajudar os consumidores a fazerem escolhas alimentares mais conscientes. A partir de outubro de 2022, as embalagens de alimentos processados e ultraprocessados apresentam uma tabela nutricional frontal, destacando informações sobre sódio, açúcar e gorduras. Além disso, na parte de trás dos produtos a tabela passou por mudanças, incluindo padronização estética, identificação de açúcares totais e adicionais e localização próxima à lista de ingredientes. Essas medidas visam fornecer informações claras e facilitar a comparação entre produtos, promovendo as escolhas mais saudáveis. A rotulagem nutricional é uma estratégia importante para a saúde pública, permitindo que as pessoas tenham conhecimento sobre os alimentos que consomem.
A nutricionista explicou que o rótulo precisa conter a lista de ingredientes em ordem decrescente, o que significa que o primeiro ingrediente está presente em maior quantidade naquele produto e o último, em menor; além da data de validade; lote de produção; origem; informação nutricional, ou seja, a quantidade de porção por embalagem; percentual do valor diário e outras obrigatórias como informar a medida caseira, por exemplo, uma colher de chá de tal ingrediente, duas fatias etc. “Devemos usar essas informações para fazermos nossas escolhas, sabermos o que estamos consumindo porque importa a nossa saúde que impacta na saúde da nossa família”, concluiu.
O evento foi encerrado com abordagem sobre cafeína e seus efeitos no exercício. O professor Morales enfatizou que a cafeína é suplemento alimentar e não tem energia, é encontrada no café, chocolate, em cápsulas, aerossol, chicletes, balas e até gel. Na palestra ele frisou a importância de saber em que momento se deve usar a cafeína; qual a dose; quanto tempo dura o seu efeito; quais os mecanismos de ação; em quais atividades esportivas ela traz benefícios; se pode gerar dependência e outros dados.
A ideia dos estudos de Morales é avaliar a melhoria da performance atlética, fisiológica e metabólica, principalmente, de ciclistas, explorando mecanismos de monitoramento, ação e efeitos da cafeína na performance. “A sensibilidade à cafeína varia entre as pessoas e o consumo excessivo pode levar a efeitos colaterais, portanto, é importante considerar a individualidade e moderação ao usar cafeína como suplemento”, concluiu o professor e pesquisador. Os dois temas prenderam a atenção dos participantes e o auditório ficou cheio do início ao fim. No final de cada palestra, foi aberto espaço para perguntas e respostas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *