Prefeitura de São Pedro da Aldeia celebra Dia Nacional da Luta Antimanicomial

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia celebrou o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, no último sábado (18/05), com o 1º Libertamente. O evento foi realizado na Praça Agenor Santos, no Centro, e, além de celebrar a data, buscou conscientizar os cidadãos aldeenses sobre pessoas que necessitam de cuidados especiais. A ação foi uma iniciativa da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) aldeense.
O projeto envolveu todos os dispositivos de saúde mental da cidade. Na oportunidade, foram promovidas oficinas abertas, exposição “Arte Liberta” de artesanato, show de calouros e leitura de versos, além do depoimento de profissionais e usuários da RAPS e familiares.
A assessora especial de Gestão da Saúde Mental, Rosemary Calazans Cypriano, falou sobre as ações. “O dia 18 de maio marca um momento importante na história, quando podemos fazer com que pessoas que sofrem de algum tipo de transtorno mental possam estar se cuidando, se tratando em liberdade e perto de suas famílias, através dos serviços de residência terapêutica, CAPS, ambulatórios, bem como as crianças possam estar dentro do atendimento do CAPSi. Apresentamos, nesta manhã, formas de cuidado que promovem o bem-estar, a melhoria no tratamento a essas pessoas, através de profissionais qualificados, longe dos hospitais psiquiátricos. Nossa intenção é mostrar o trabalho realizado em São Pedro da Aldeia por meio de eventos como este. No dia 27 de maio, estaremos na Câmara de Vereadores, dando voz aos usuários, para que eles possam nos contar a diferença do tratamento anterior, quando estavam em hospícios, e de como são acompanhados hoje pela Saúde Mental”, explicou.
Nesta segunda-feira (20/05), profissionais da RAPS, usuários dos dispositivos e familiares se reuniram no Cine Estação, no Centro, para assistir ao filme “As palavras nas paredes do banheiro”, dando continuidade às comemorações da luta antimanicomial.
A coordenadora do Serviço de Residência Terapêutica, Renata Nogueira Antum Gomes, comentou sobre a iniciativa. “Eu, como coordenadora da Residência Terapêutica, me alegro muito em fazer parte deste momento, junto com os residentes da nossa casa, comemorando esse dia sem manicômios, com tratamento humanizados e cuidados em liberdade. Vamos dizer sim à liberdade. É de comemorar junto com essas pessoas desinstitucionalizadas, que podem hoje conviver em sociedade, tendo acesso a tudo aquilo de que foram privados ao longo de suas vidas”, afirmou.
Durante o evento do sábado (18/05), a usuária Adriana relatou como era maltratada em um hospital de internação e destacou a experiência de morar na Residência Terapêutica, onde tem seu quarto, suas coisas, pode sair para passear, estudar e realizar atividades comuns. Adriana convidou os aldeenses para conhecerem a RT.
Já a responsável pelo Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), Jaqueline Paula de Souza Fernandes, falou sobre o objetivo do evento. “É um dia muito importante, porque é o primeiro ‘Libertamente’, para que todos conheçam o trabalho da saúde mental no tratamento em liberdade aos usuários que necessitam. Estamos aqui para mostrar que a pessoa com transtorno mental pode estar em qualquer lugar e tem esse direito. Esse evento de hoje é só o começo de muita coisa, nós vamos invadir São Pedro da Aldeia, informar à sociedade e estar tomando posse de um lugar que é nosso”, destacou.
A coordenadora do CAPSi, Sheila Cristina de Oliveira Gomes, também falou sobre a importância da atividade. “É preciso conscientizar a sociedade sobre a importância de dar autonomia e amor às pessoas que passam por transtornos mentais, tendo empatia pelo usuário. Essa é a luta do CAPSi, que cuida, dá apoio, carinho e, principalmente, respeito, através de toda a equipe de trabalho”, disse.
O coordenador do Ambulatório de Saúde Mental, Alessandro Barbosa, destaca o trabalho da Rede de Atenção Psicossocial. “O 18 de maio é um marco para estarmos dizendo para toda a sociedade, para todos os aldeenses, que o cuidado se dá em liberdade. Quando temos a oportunidade de trazer para a praça central da cidade um evento como este, estamos dizendo que queremos dar dignidade à pessoa, cuidar das pessoas como realmente precisam, garantir seus direitos. É isso que a Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Saúde, tem feito em todos os dispositivos da RAPS. Queremos garantir o cuidado em liberdade, com dignidade, para que os usuários enxerguem a vida dentro de um contexto social e comunitário. Exterminando não só os manicômios físicos, mas os que existem dentro de cada um de nós, que nos aprisionam em preconceitos e modos de enxergar a vida. A vida é pra ser vivida e vivida em liberdade”, declarou.
A programação que marca o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, celebrado em 18 de maio, termina na próxima segunda-feira (27/05), com o Seminário de Saúde Mental “Dando Voz ao Povo”. O evento acontece na Câmara de Vereadores, a partir das 13h30, aberto à toda população.
O projeto antimanicomial acontece em todo o Brasil com o objetivo de reforçar os direitos das pessoas com transtornos mentais, como o direito fundamental à liberdade, o de viver em sociedade, de receber cuidado e tratamento humanizado, que vise sua inserção na comunidade, sem prejuízo à sua cidadania garantida pela Constituição Federal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *