Prefeitura de Petrópolis apresenta projeto para conter as cheias do Rio Quitandinha

Um projeto da Prefeitura busca minimizar um problema histórico de Petrópolis: as cheias ao longo do Rio Quitandinha (principalmente na Rua Coronel Veiga, na Ponte Fones, nas Duas Pontes e na Rua Washington Luiz).

A proposta prevê a construção de 7 reservatórios de amortecimento de cheias ao longo do rio. Na prática, esses reservatórios (com capacidade de 3 a 6 milhões de litros cada) receberão o excedente do rio. Ou seja: em dias de fortes chuvas, o que for acima da capacidade do rio ficará retido nesses reservatórios.

Além disso, o projeto também prevê a construção de uma galeria de águas pluviais suplementar ao longo da Rua Coronel Veiga (por baixo da rua). O excesso de água que não couber nos reservatórios vai para essa galeria.

O projeto da Prefeitura, orçado em R$ 100 milhões, é voltado para o PAC Seleções, do governo federal. A aprovação dos projetos inscritos no programa está prevista para maio.

Esse projeto traz obras de grande porte, obras de alguns anos e que vão representar um novo momento da cidade com relação às chuvas. É uma política de preparação da cidade para as chuvas no longo prazo. E é um projeto que não está pronto. Será submetido a outros técnicos, à população, para que receba sugestões e melhorias.

 

Novas audiências

Essa primeira versão do projeto foi apresentada à população na noite de quinta-feira (18), na Casa dos Conselhos Municipais Augusto Ângelo Zanatta.

A Casa dos Conselhos ficou lotada para a apresentação. Estavam presentes representantes do governo, da sociedade civil e da Câmara Municipal.

A aprovação do PAC Seleções está prevista para maio. Se for em maio mesmo, em junho haverá nova reunião pública na Prefeitura.

 

Intervenções em áreas públicas

Representando o Comitê Piabanha, Rafaela Facchetti assistiu à apresentação e elogiou o projeto, por trazer soluções à montante (rio acima), e não à jusante (rio abaixo). Ou seja, é um projeto que traz soluções para as cheias do Rio Quitandinha sem prejudicar os bairros à jusante: Centro, Barão do Rio Branco, Corrêas, Nogueira, entre outros.

Outra característica do projeto é priorizar intervenções em áreas públicas. Dos 7 reservatórios, 6 são em áreas públicas, o que facilitará a execução das obras.

O projeto foi pré-selecionado pelo governo federal no PAC Seleções. Se for selecionado definitivamente agora em maio, a proposta é que, em 2024, o projeto seja amplamente discutido com a população, até chegar a uma versão final. Nesse cenário, a previsão é que as obras comecem entre março e abril de 2025.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *