Paixão futebolística movimenta 3,96 bilhões na economia do Rio

O futebol mexe com o coração do torcedor carioca, que lotou os estádios no município em 2023 e encheu bares e restaurantes para acompanhar os jogos. Toda essa mobilização impacta também a economia da cidade. Segundo dados divulgados pela Prefeitura do Rio, levantados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Econômico (SMDUE), os jogos disputados pelos quatro principais clubes da cidade movimentaram R$ 3,96 bilhões na economia do Rio de Janeiro no ano passado. Dividindo esse valor por jogo, estima-se que a movimentação total do futebol carioca foi de R$ 14,6 milhões por partida. Os números fazem parte do estudo “Economia do Futebol Carioca”.

Os quase R$ 4 bilhões são a soma da receita dos quatro grandes clubes do Rio (Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo), que chegou à cifra de R$ 2,3 bilhões, mais o impacto dos jogos no Rio, tanto dos torcedores que vão aos estádios (sem incluir arrecadação dos jogos, que já constam na receita), quanto os torcedores que não vão nos estádios, mas assistem aos jogos em bares, restaurantes e locais públicos. E o impacto dos jogos fora do Rio, com os torcedores assistindo aos jogos também em estabelecimentos comerciais.

Para o balanço, foram considerados os números de 2023, quando esses quatro times disputaram 126 jogos na cidade – nos campeonatos Carioca, Copa do Brasil, Copa Libertadores da América, Copa Sul-Americana, Campeonato Brasileiro e Recopa Sul-Americana –, nos estádios do Maracanã, Engenhão e São Januário. No total, 4,5 milhões de torcedores assistiram às partidas nos estádios (público médio de 37,2 mil torcedores por jogo), levando a um impacto total anual de R$ 584,7 milhões, nos dias de jogos em casa, considerando os gastos dos torcedores que foram aos estádios com os ingressos, transporte, bebida e alimentação.

– O futebol tem o poder de reunir as pessoas, seja nos estádios ou fora deles, no entorno. Essa paixão que mobiliza os cariocas também coloca a economia da cidade no centro do campo. “O VAR” confirma que os números fazem do futebol uma fonte de diversão, mas também de desenvolvimento econômico e social. Fiquei ainda mais feliz, já que o resultado mostrou que o meu time foi o que mais contribuiu – avaliou o rubro-negro Chicão Bulhões, secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Econômico.

O estudo considerou, em dias de jogos na cidade, não apenas frequentadores dos estádios, mas também os que assistem às partidas em bares, restaurantes, locais abertos como praças e “baixos”, que ficam lotados para os torcedores assistirem aos seus times do coração. Então, ao juntar os amigos e a torcida para acompanhar as partidas bebendo e “beliscando”, o carioca injetou mais R$ 580,2 milhões na economia do Rio. Dessa forma, o impacto total dos torcedores, nos jogos “em casa”, seja dos torcedores que vão aos estádios e os que assistem nos bares, foi de R$ 1,2 bilhão.

Nos 146 jogos fora de casa disputados pelos quatro clubes, os torcedores apaixonados espalhados por restaurantes e bares da cidade movimentaram mais R$ 748,5 milhões na economia. Ou seja, pela “súmula do estudo” os torcedores causaram impacto econômico total de R$ 1,9 bilhão nos 272 jogos disputados pelos quatro grandes clubes cariocas em 2023.

O estudo completo “Economia do Futebol Carioca” está disponível no Observatório Econômico do Rio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *