Número de indústrias interessadas em se instalar no Rio de Janeiro dobra no primeiro bimestre do ano

 
Concessão de incentivos fiscais deve resultar em investimentos de cerca de R$ 46 milhões no estado 


O número de indústrias interessadas em abrir ou ampliar seus negócios no Estado do Rio de Janeiro mais que dobrou no primeiro bimestre de 2024, em relação a 2023. De acordo com a Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin), o aumento de 125% no quantitativo de incentivos fiscais concedidos a empresas do setor industrial, nos dois primeiros meses do ano, representa investimentos em torno de R$ 46 milhões em território fluminense – 13% a mais que no mesmo período do ano passado – e centenas de novos empregos.

– Voltamos a atrair investimentos para o Rio de Janeiro, graças ao ambiente de negócios juridicamente seguro que estabelecemos no estado, e verificamos um crescimento significativo da produção industrial nos últimos 12 meses. Encerramos 2023 com índices bem acima da média nacional e não deixamos o ritmo cair, iniciando 2024 com o setor aquecido. No primeiro bimestre desse ano, tivemos mais de uma indústria por semana se movimentando para entrar ou se expandir em território fluminense – destacou o governador Cláudio Castro.

Segundo a Codin, o quantitativo total de empregos que serão  gerados pelas empresas que tiveram seus pleitos de incentivos fiscais analisados e aprovados pela Comissão Permanente de Políticas para o Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio de Janeiro (CPPDE), no primeiro bimestre, também registrou um aumento expressivo: 30% a mais que o total verificado em janeiro e fevereiro de 2023.

– O interesse do setor industrial no Rio de Janeiro deve continuar crescendo, estimulado pela desburocratização da máquina pública e por uma forte e responsável política de incentivos e segurança jurídica – afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços, Vinícius Farah.

Para o presidente da Codin, Fábio Picanço, esse avanço é fruto da transparência e do trabalho do Governo do Estado, realizado por meio da Companhia, em parceria com os demais órgãos estaduais e também com o legislativo.

– Contamos com um quadro técnico altamente qualificado e estamos investindo ainda mais em capacitação e nos processos de análise. Também não podemos esquecer das secretarias estaduais da Fazenda, a Casa Civil e a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, que, aliadas à Codin, têm demonstrado um desempenho exemplar pelo desenvolvimento socioeconômico do estado – comentou Picanço.

As empresas que mais tiveram incentivos fiscais aprovados nos dois primeiros meses do ano são do setor atacadista e estão localizadas na região Metropolitana do Estado do Rio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *