23 de julho de 2024

TV Prefeito

Portal de notícias dos municípios com videos e entrevistas. Cobertura diária das cidades das regiões: Metropolitana, Serrana, Lagos, Norte, Noroeste, Médio Paraíba e Centro Sul do estado do Rio de Janeiro. O melhor da notícia está aqui.

Nísia: ‘A oncologia é um desafio, mas pode ter uma resposta melhor pelo SUS’

A declaração foi dada na manhã desta segunda-feira (24), em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, durante a inauguração de novas instalações do Hospital Alcides Carneiro

 

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, afirmou que apesar da complexidade da oncologia, o Sistema Único de Saúde (SUS) possui capacidade de dar melhores respostas à população brasileira. Ela ressaltou que o programa Mais Acesso a Especialistas é parte essencial no processo de redução de filas. A declaração foi dada na manhã desta segunda-feira (24), em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, durante a inauguração de novas instalações do Hospital Alcides Carneiro. Ao todo, serão abertos 87 leitos para o tratamento de câncer e acolhimento às gestantes, puérperas e bebês.

“Precisamos garantir que não haja um grande tempo de espera e essa é a meta do programa Mais Acesso a Especialistas. É isso que vamos fazer juntos para melhorar a condição de atendimento e para reduzir o sofrimento dos pacientes. Isso é SUS na prática”, frisou. Nísia ponderou que o programa é uma das prioridades do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Ministério da Saúde.

Nísia reafirmou que tem trabalhado para fortalecer o SUS. “A principal característica da rede pública é fazer a diferença de forma concreta na vida do povo brasileiro. O SUS é uma grande conquista da nossa população, mas o que importa é o que ele representa de forma concreta na vida das pessoas”, comentou.

O prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo, destacou que o apoio do Ministério da Saúde tem sido fundamental para o fortalecimento do SUS na cidade e no hospital.  “Desde 2017, o hospital entrou num processo de decadência. Encerramos isso agora com essa obra que é a mais importante da história da unidade. Isso faz parte da consolidação do SUS, a população vai se apropriando e o SUS vai se consolidando como um direito de todos nós brasileiros”, salientou.

Investimentos

Agora, toda a linha de cuidados dos pacientes oncológicos passará a ser oferecida no hospital, desde o diagnóstico, exames, cirurgias e, agora, quimioterapia. O espaço tem capacidade de atender 1.100 pessoas por mês. Para a nova unidade oncológica, o ministério fez uma contratualização no valor de R$ 910 mil por ano.

Além disso, a população petropolitana passará a contar com a Casa da Gestante, Bebê e Puérpera. Com uma maternidade que já é referência na cidade para partos pelo SUS, o hospital agora ganha um espaço que funciona como lar temporário às mães e recém-nascidos.

O secretário municipal de Saúde de Petrópolis, Ricardo Patuléa, destacou que a saúde pública da cidade ficou mais forte com o apoio do governo federal. “É aqui que nascem a maior parte do petropolitanos, já que temos a maior maternidade pública da região”, revelou.

O espaço oferta acompanhamento pré-natal e pós-parto, as puérperas receberão no local orientação sobre amamentação, cuidados com o bebê, hospedagem, alimentação e suporte psicológico e social. No total, serão disponibilizados 18 leitos para as mães e 18 leitos para os bebês. O serviço é voltado às famílias de baixa renda, mães adolescentes, gestantes de risco ou com doenças crônicas, entre outras.

hospital petropolis.jpg

Mais Acesso a Especialistas

Para ampliar o acesso da população a profissionais especialistas – em hospitais e policlínicas, por exemplo – o Ministério da Saúde criou o programa, que oferece um modelo de cuidado com maior oferta de consultas, exames e cirurgias, de forma humanizada. O ciclo que tem início em uma atenção primária mais qualificada e com amparo da telessaúde, chega integrado à atenção especializada, reduzindo o tempo de espera do paciente.

Na adesão ao Mais Acesso a Especialistas, gestores estaduais, municipais e do Distrito federal deverão elaborar Planos de Ação nos quais indicarão as filas prioritárias, os serviços responsáveis por cada Oferta de Cuidado Integrado, quantidade de oferta de cuidado que cada um deve ofertar por ano e o impacto financeiro correspondente. Com isso, será possível o planejamento das ações e o monitoramento da implementação dos Planos de Ação em cada região de saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *