Justiça determina prisão preventiva de dois suspeitos de feminicídios na Rocinha

O Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) determinou, nesta terça-feira (10), a prisão preventiva de Wendel Luka da Silva Virgílio e Rios Loureiro de Souza Sablich, conhecido como Kinho. Os dois são suspeitos de cometer feminicídios na comunidade da Rocinha, na Zona Sul.

Kinho foi preso nesta segunda-feira (9) após matar a tiros a ex-mulher Daniela Barros Soares, de 29 anos. De acordo com as investigações, ele entrou na casa da vítima enquanto ela dormia com o filho de 13 anos. O suspeito teria pedido para o menino se retirar do quarto para que ele pudesse conversar com ela. Em seguida, atirou na cabeça da mulher e deixou a residência.

Após o crime, o ex-marido se entregou na Cidade de Polícia e foi preso em flagrante. Na decisão que determinou a prisão preventiva, a juíza Mariana Tavares Shu ressalta que o crime pode causar traumas aos filhos de Daniela.

“A gravidade da conduta é extremamente acentuada. A crueldade da ação indica a mais absoluta inadequação do custodiado ao convívio social, já que efetuou um disparo de arma de fogo contra a cabeça da vítima, a qual possuía 4 filhos, sendo dois com 3 anos, um com 7 e outro com 13 anos. Ressalte-se que o filho da vítima de 13 anos teria presenciado o delito e avisado ao tio acerca dos fatos, não havendo dúvidas de que a situação narrada causará inegáveis traumas às crianças”, destacou.

Já Wendel Luka foi preso no domingo passado (8), poucas horas depois de esfaquear e matar a namorada Carmen Dias da Silva. O crime teria acontecido durante uma discussão do casal. Na decisão, a juíza Rachel Assad da Cunha afirma que a crueldade do assassinato indica que o suspeito não pode retornar de imediato ao convívio social.

“Consta do auto de prisão em flagrante que a vítima era companheira do custodiado e, após uma discussão, ele desferiu diversos golpes de faca contra ela, causando a sua morte. Uma testemunha chegou ao local no exato momento da prática do crime, acionando policiais militares. No entanto, a vítima veio a óbito no local. A gravidade da conduta é muito acentuada. A crueldade da ação indica a mais absoluta inadequação do custodiado ao convívio social, já que matou a própria companheira com diversos golpes de faca”, determinou.

Nos últimos 12 dias, quatro mulheres foram vítimas de feminicídio na Rocinha. Além de Daniela e Carmem, Francisca Analice Mendes e Stephany Paiva, foram encontradas mortas, no dia 29 de dezembro, após serem atingidas por golpes de facas. Suspeito de ter cometido os crimes, Armando Mendes, marido de Francisca, foi preso no dia seguinte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *