Força-Tarefa do Governo do Estado prende proprietário de ferro-velho por posse de veículos furtados

A Força-Tarefa do Governo do Estado, de combate ao desmonte ilegal de veículos realizou, nesta segunda-feira (4/3), uma ação de fiscalização em dois ferros-velhos no município de São Gonçalo, na Região metropolitana do Rio. O proprietário de um dos estabelecimentos foi preso em flagrante, após agentes descobrirem no local três veículos com registro de furto.
 
–  Criamos essa Força-Tarefa para combater o comércio clandestino de peças roubadas e furtadas de veículos. Demos um prazo para as empresas de desmontagem de veículos, recuperação e comércio de peças se credenciarem no sistema do Detran e o prazo já acabou. Esse comércio ilegal também acaba alimentando outros crimes, como o roubo e o furto de carros. O estabelecimento que estiver funcionando de maneira ilegal será fechado e o proprietário será preso – disse o governador Cláudio Castro.
 
Participam da Força Tarefa, equipes das polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e secretarias de Meio Ambiente e Fazenda, coordenadas pelo Detran. Agentes estão utilizando um aparelho de scanner – Diagnóstico Inteligente Veicular (DIV). O aparelho é conectado aos veículos e, em menos de cinco minutos, faz a leitura completa dos módulos, dos chassis e dos componentes eletrônicos. 
 
–  O Detran orienta as empresas que queiram trabalhar nesse ramo para que busquem regularizar seu negócio. Todo material que for encontrado sem comprovação de propriedade e sem identificação, será destruído conforme determina a legislação ambiental. A expectativa é que, com a diminuição do mercado criminoso de peças roubadas, o roubo e furto de veículos também possa diminuir – afirmou o presidente do Detran.RJ, Glaucio Paz.
 
O sistema faz um cruzamento com a base de dados da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran) para verificar números de chassis e procedência dos componentes. O aparelho também é capaz de detectar adulterações em airbags, freios ABS e outros itens de segurança do veículo.
 
O objetivo da operação é coibir a comercialização de peças de carros roubados, evitar danos ao meio ambiente e também verificar condições sanitárias devido à epidemia de dengue.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *