BO cita Jô como “procurado”; atacante passa a noite preso por falta de pagamento de pensão

O boletim de ocorrência da prisão do atacante Jô, do Amazonas e com passagens por Seleção, Corinthians e Atlético-MG, cita o jogador como “procurado” da Justiça por falta de pagamento de pensão alimentícia.

Depois de passar a noite da última segunda-feira na cadeia anexa do 2º Distrito Policial de Campinas, ele aguarda o resultado da audiência de custódia nesta terça.

O mandado contra Jô, cumprido antes do jogo entre Amazonas e Ponte Preta, pela terceira rodada da Série B do Brasileiro, foi expedido em 22 de abril, na cidade de Itagibá-BA, o que fazia, de acordo com o boletim de ocorrência, o jogador ser considerado “procurado”.

O documento também diz que Jô não chegou com a delegação do Amazonas ao Estádio Moisés Lucarelli e foi localizado depois de um dirigente do clube entrar em contato para o atacante indicar onde estava.

Ainda segundo a Polícia Civil, Jô disse que “não estava ciente do mandado de prisão, mas que tinha conhecimento do processo em tramitação”. O boletim de ocorrência fala que o prazo para o pagamento da pensão alimentícia venceu em 19 de abril.

O repórter Yago Rudá, do ge, apurou que Jô deixou o hotel onde o Amazonas estava hospedado no ônibus da delegação, com o uniforme de viagem do clube, mas que pegou um outro veículo no meio do caminho.

Depois dos procedimentos realizados na delegacia, Jô foi conduzido por policiais às 22h30 para o 2º Distrito Policial, no bairro São Bernardo, onde passou a noite na cadeia anexa.

– Houve um mandado de prisão expedido em uma cidade da Bahia, de uma dívida razoavelmente pequena. Segundo a advogada que cuida do processo, a dívida está paga. O Jô vai passar pelo IML (Instituto Médico Legal) e depois vai para a cadeia do 2º DP. Amanhã (terça-feira) essa dívida, para qualquer dúvida, será paga, e a gente espera que ele seja colocado em liberdade – disse o advogado Artur Eugênio Matias, indicado pelo Amazonas para auxiliar Jô na delegacia.

Ainda segundo o advogado, o processo que levou ao mandado de prisão corre em segredo de Justiça por envolver menor de idade – o jogador tem oito filhos, sendo seis fora do casamento. A reportagem do ge espera um posicionamento da advogada de Jô que cuida do caso.

O atacante, de 37 anos, estava escalado para começar a partida contra a Ponte entre os titulares – William Barbio entrou em seu lugar.

O Amazonas se posicionou sobre o caso em nota:

– O Amazonas está dando toda assistência necessária para o atleta. Estamos aguardando as informações do nosso Departamento Jurídico para poder esclarecer para vocês jornalistas e nossos torcedores – declarou Weslley Couto, presidente do Amazonas FC.

Polícia Civil chega para cumprir mandado de prisão contra Jô — Foto: Marcos Ribolli

Jô deixou a aposentadoria para acertar com o Amazonas no início do ano. Foram cinco gols em 14 jogos até aqui. Revelado pelo Corinthians, ele também foi campeão da Libertadores pelo Atlético-MG, em 2013, e disputou a Copa do Mundo pela Seleção em 2014, no Brasil.

O currículo ainda tem passagens por Internacional Manchester City e Everton, da Inglaterra, CSKA, da Rússia, Galatasaray, da Turquia. Sem Jô, o Amazonas perdeu de 3 a 0 da Ponte Preta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *