Agora é Lei: Comida Di Buteco é declarada patrimônio cultural e gastronômico do Estado do Rio

O concurso Comida Di Buteco está declarado como patrimônio cultural, gastronômico e imaterial do Estado do Rio de Janeiro. A determinação é da Lei 10.396/24, de autoria da deputada Verônica Lima (PT), que foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), sancionada pelo governador Cláudio Castro e publicada no Diário Oficial desta terça-feira (04/06).

Considerado um dos maiores concursos de comida de bar no Estado do Rio, o Comida Di Buteco nasceu da iniciativa dos radialistas Eduardo Maya, João Guimarães e Maria Eulália Araújo, que atuavam na extinta Rádio Geraes. Em 2000, na cidade de Belo Horizonte (MG), eles lançaram a proposta como forma de valorizar a cozinha de raiz e os botecos da região. No Rio há 15 anos, o Comida Di Buteco já faz parte da cultura popular e incentiva milhares de fluminenses a consumirem a gastronomia local.

Todos os anos entre abril e maio é realizada a competição anual de bares, que serve de pretexto para visitar diversos estabelecimentos, em mais de vinte cidades do Brasil, em busca dos petiscos mais gostosos. São eleitos os melhores botecos através de quatro quesitos: higiene, temperatura da bebida, atendimento e, principalmente, o sabor do petisco. Os vencedores são decididos não só pelos jurados, mas também por votação popular.

“O Comida Di Buteco merece o título em função de ser uma atividade cultural e histórica. A gastronomia é parte importante da nossa história, é patrimônio do povo. Além disso, ele está movimentando muito a economia em todos os lugares onde têm bares do concurso. É fila na porta, geração de emprego e até os estabelecimentos vizinhos estão se beneficiando”, declarou Verônica Lima, que preside a Comissão de Cultura da Alerj.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *