Advogado de vítima diz que Robinho busca ‘pelo em ovo’ para evitar ‘o inevitável’: “Teve julgamento justo”

A defesa de Robinho, jogador condenado pela Justiça italiana a nove anos de prisão por estupro em grupo de uma jovem, em Milão, se manifestou em juízo sobre o pedido da Itália para que ele cumpra sua pena no Brasil. Foi encaminhado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) uma petição para que o órgão intime o governo italiano a enviar ao Brasil o processo traduzido para o português e uma cópia integral do documento.

Jacopo Gnocchi afirmou que os advogados de Robinho tentam buscar “pelo em ovo” no processo que pode levá-lo à cadeia pelo estupro cometido na Itália. O país já enviou ao STJ uma cópia da sentença, mas os advogados brasileiros de Robinho tentam protelar a decisão ao pedir o processo italiano inteiro — e traduzido.

— Acho um pouco fora de hora essa tentativa de buscar ‘pelo em ovo’ para evitar o inevitável, ou seja, que ele cumpra a pena no Brasil — disse o advogado. — Não creio que haja mais nada para demonstrar pois o culpado (Robinho) teve um julgamento justo, com todas as garantias de defesa, porque foi assessorado em todos os graus do julgamento por advogados italianos absolutamente especializados.

A estratégia do escritório de José Eduardo Alckmin é de demonstrar que Robinho não teve um julgamento justo na Itália. Portanto, não tem que cumprir pena de nove anos pelo estupro de uma mulher de 23 anos, em Milão.

A petição emitida pela defesa do jogador foi anexada ao processo do STJ na última quinta-feira (16) e deverá ser analisada pela presidente do Supremo Tribunal, a ministra Maria Thereza de Assis Moura. O processo de homologação da sentença está em fase inicial.

Segundo especialistas ouvidos pelo O GLOBO, nesta etapa da homologação, será analisado apenas se o jogador teve um julgamento justo, sem entrar no mérito da condenação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *