Uerj debate aumento da utilização da água de reuso

Águas do Rio destaca que a utilização desse recurso no setor industrial aumentará a oferta de água tratada para a população fluminense

A ampliação da produção de água de reuso na infraestrutura operada pela Águas do Rio foi um dos temas do Seminário “Reuso de Efluentes e Geração de Negócios”, promovido pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), nesta quarta-feira (30), no campus principal da instituição, no Maracanã, Zona Norte carioca. O projeto sustentável da concessionária, que vai gerar benefícios ao meio ambiente e para a população fluminense, fez parte do painel “Oportunidades de reuso de efluentes para fins industriais”, durante o evento organizado pelo Departamento de Engenharia Sanitária e do Meio Ambiente da Uerj.

Com a implantação de novas estações de tratamento de esgoto pela empresa nos próximos anos, grandes consumidores de água, como polos industriais, poderão ser abastecidos com o reuso de efluentes, ou seja, esgoto tratado. Desta maneira, será possível remanejar a água para as torneiras da população e abastecer em torno de 750 mil pessoas diariamente.

De acordo com Rafael Rossi, diretor de Novos Negócios da Aegea, holding da qual a Águas do Rio faz parte, a utilização da água de reuso por parques industriais é uma das medidas que vai garantir a segurança hídrica das próximas gerações. Ainda segundo ele, além da construção de toda a infraestrutura sanitária para possibilitar a produção, o maior aproveitamento da água de reuso poderia ser impulsionado por políticas públicas.

“Iniciativas como o direcionamento das outorgas de captação para privilegiar o consumo humano ou a desoneração fiscal da cadeia produtiva de água de reuso, algo que já está em prática em alguns locais, são instrumentos que podem acelerar sua utilização por consumidores industriais. Estamos avançando, e, em breve, isso será uma realidade no Estado do Rio de Janeiro. Esse é um dos objetivos da Águas do Rio, em consonância com os compromissos de responsabilidade social e ambiental, que são pilares da empresa”, afirmou Rossi.

No cenário atual, a companhia opera 16 Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs), que têm capacidade de gerar cerca de 9,7 mil litros por segundo de água de reuso. O volume é suficiente para atender o polo industrial de Itaboraí, por meio da ETE São Gonçalo; e o polo industrial de Duque de Caxias, via ETE Sarapuí, localizada em Belford Roxo. Com a expansão do sistema de esgotamento sanitário, até 2056, estão previstas no planejamento da empresa a construção de novas estações, que atingirão uma vazão de aproximadamente 20 mil litros por segundo.

Parceria com Comlurb

A utilização de água de reuso não é uma novidade na concessionária. A Águas do Rio fornece, mensalmente, 7,5 milhões de litros de efluentes tratados à Companhia Municipal de Limpeza Urbana do Rio, a Comlurb, para a limpeza das feiras livres em vários bairros da capital. Diariamente, caminhões da empresa pública são abastecidos na Estação de Tratamento de Esgoto da Penha (ETE Penha).

Acordo com a Petrobras

Em dezembro passado, a Águas do Rio assinou acordo com a Petrobras que garantirá o fornecimento de até 1.074 litros/segundo de efluentes tratados para o abastecimento das operações industriais da Refinaria Duque de Caxias (Reduc) e do Polo Gaslub, em Itaboraí. A implantação da unidade de produção de água de reuso para servir o Polo Gaslub, um dos complexos petroquímicos da Petrobras, começará em 2024.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *