13 de julho de 2024

TV Prefeito

Portal de notícias dos municípios com videos e entrevistas. Cobertura diária das cidades das regiões: Metropolitana, Serrana, Lagos, Norte, Noroeste, Médio Paraíba e Centro Sul do estado do Rio de Janeiro. O melhor da notícia está aqui.

Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Nova Iguaçu estimula a produção de hortas domésticas

Produzir alimento para o próprio consumo não é mais “coisa de gente do campo”. A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Nova Iguaçu (SEMAM) concluiu, nesta segunda-feira (18), o primeiro curso de Hortas Domésticas. Cerca de 20 pessoas participaram da capacitação, oferecida em parceria com a EMATER-Rio, que tem como objetivo estimular o cultivo em casa e desenvolver a segurança alimentar.

A oficina teve três aulas, sendo duas teóricas, na sede da SEMAM, com alunos aprendendo sobre pragas, doenças, adubação, espaçamento, plantio, colheita e pós-colheita, e uma prática, realizada em um horto localizado na zona urbana da cidade.

“A segurança alimentar é um tema que vem ganhando cada vez mais importância, principalmente após a pandemia que o mundo atravessou. Poder produzir o próprio alimento em casa, longe dos agrotóxicos e até mesmo da exposição a diversas pessoas e manuseio sem os devidos cuidados até que o produto chegue à mesa do consumidor, é a garantia de uma refeição mais saudável”, garante o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Edgar Martins.

O curso foi conduzido por Sidney da Silva Filho, técnico da EMATER-Rio. Segundo ele, qualquer pessoa é capaz de cultivar uma horta doméstica, mesmo quem não possui quintal e tem pouco espaço. “Quem vive em apartamento pode criar uma horta suspensa. O curso ensina não somente como deve ser feito o cultivo, mas também dá dicas de como reaproveitar pneus velhos e até garrafas pet nas hortas domésticas. Ou seja, ensinamos a produção sustentável agroecológica e a reciclagem”, explica Sidney.

 

 

O curso da SEMAM contou com a colaboração de Joselmo Porfírio, gestor da chácara onde foi realizada a aula final. Segundo ele, a horta doméstica é a garantia de um alimento mais saudável em diversos aspectos. “A verdura do mercado, além de ter agrotóxicos, chega ao consumidor sem o mesmo potencial nutritivo da verdura colhida em casa, pois já está exposta há dias. O alimento fresco e sem o uso de substâncias químicas nocivas à saúde, além de ser mais nutritivo, reduz o risco de incidência de câncer”, afirma Porfírio.

A aluna Marisa Celestina Pereira da Silva, 63 anos, aprovou a iniciativa da prefeitura. Ela conta que iniciou o cultivo doméstico há 12 anos e que já participou de outros cursos da EMATER-Rio e da SEMAM. Segundo a Guardiã, como é conhecida no bairro Dom Rodrigo, onde vive, além da garantia de procedência, a horta de sua casa ajuda a gerar economia. “O alimento do mercado não tem a mesma qualidade daquele produzido na minha horta. Além disso, é caro. Investir na horta doméstica significa investir também na saúde e economizar dinheiro”, garante.

Marisa possui o título de Guardiã, concedido pela Câmara Municipal de Nova Iguaçu, por ter implantado um jardim em via pública, cuidado e preservado. Além disso, ela possui duas moções dadas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) por suas ações em defesa do meio ambiente.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente dará início a uma nova turma do curso de Hortas Domésticas no dia 13 de outubro. Outras duas devem ser iniciadas até o fim deste ano. As inscrições, no entanto, estão encerradas. Estas turmas serão compostas por pessoas inscritas no cadastro reserva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *