Prefeitura do Rio inicia obras do programa Bairro Maravilha nas comunidades Monte Líbano e Caminho de Tutóia, na Zona Oeste

A Prefeitura do Rio deu início às obras do Bairro Maravilha em Campo Grande e Cosmos, na Zona Oeste, neste sábado (18/5). As comunidades do Monte Líbano e o Caminho de Tutóia são os locais contemplados. No total, 18 ruas serão requalificadas com instalação de saneamento básico, calçamento e pavimentação. As obras serão realizadas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e custarão R$ 21,5 milhões.

Em Campo Grande, dez ruas do Monte Líbano serão requalificadas pelo Bairro Maravilha, entre elas as ruas 1,2,3 e 4. Os serviços incluem a implantação de galerias pluviais para a drenagem de água da chuva, instalação de redes de água potável e esgoto sanitário, além de calçamento e pavimentação para melhorar a circulação dos moradores. Mais de 37,6 mil metros quadrados de área pública receberão infraestrutura.

 

– Estamos começando a obra. Não é algo simples, pois faremos a urbanização completa do loteamento, com drenagem, esgoto, água. Acompanhem e fiscalizem – afirmou o prefeito Eduardo Paes.

 

Em Cosmos, o Bairro Maravilha revitalizará oito logradouros do Caminho de Tutóia, entre eles as ruas Umbará e Ladário. Mais de 14,3 mil metros quadrados de área pública serão contemplados com instalação de redes de drenagem, água potável e esgoto sanitário, além de calçamento e asfalto liso.

 

– Estamos aqui comemorando o início das obras que os moradores tanto pediram. O programa Bairro Maravilha é muito conhecido, com a maioria das obras ocorrendo na Zona Oeste. Aqui no Caminho de Tutóia a empresa já começou os serviços de sondagem. Vamos voltar depois para inaugurar um Caminho de Tutóia bonito, com asfalto novo, as calçadas feitas e com toda a tubulação de água e esgoto funcionando – disse a secretária de Infraestrutura, Jessick Trairi.

 

Com o Bairro Maravilha, investimentos da Prefeitura em urbanização e infraestrutura ultrapassam R$ 1 bilhão

A Prefeitura do Rio já transformou 34 localidades da Zona Oeste durante a atual gestão. As últimas entregas ocorreram no Novo Tinguí (Dinda) e no loteamento da Estrada Rio-SP, na altura do nº 3.791, em Campo Grande. Por meio do programa de urbanização da Secretaria de Infraestrutura, as ruas das localidades beneficiadas recebem saneamento básico, pavimentação e calçamento, melhorando não só a capacidade de escoamento de água da chuva das vias como a acessibilidade. Outros 24 projetos estão em andamento na região mais populosa da cidade. É o caso, por exemplo, das comunidades Caminho da Guarda, em Sepetiba, e Jardim Vitória, em Santa Cruz.

 

– Mais dois locais da Zona Oeste sendo contemplados pelo programa Bairro Maravilha, trazendo infraestrutura e toda a qualidade de vida que a população merece e precisa – declarou o subprefeito da Zona Oeste, Diogo Borba.

 

A Zona Norte também vem sendo contemplada com as benfeitorias do Bairro Maravilha. Oito bairros vêm recebendo as ações do programa, entre eles Rocha Miranda, Bonsucesso e Ramos. Uma intervenção já foi entregue aos moradores do subúrbio, no bairro do Encantado.

O investimento total em obras de infraestrutura nas zonas Oeste e Norte ultrapassa R$ 1 bilhão. Até fevereiro deste ano, cerca de 70 quilômetros de urbanização já tinham sido executados pelo Bairro Maravilha.

 

Obras de Drenagem no Villagio Campinho

Ainda neste sábado, a Fundação Rio-Águas apresentou o projeto de controle de enchentes para as áreas comuns dos condomínios Villagio Campinho, em Campo Grande. Os quatro conjuntos habitacionais sofrem com enchentes há anos e receberão a implantação de quatro reservatórios para retenção da água da chuva, bombas, comportas e melhorias nos sistemas de drenagem para reduzir os alagamentos. São mais de 980 domicílios beneficiados com as obras, e um investimento estimado em pouco mais de R$ 15 milhões.

– Esse projeto foi elaborado por técnicos da Prefeitura. Temos uma experiência muito positiva com os piscinões na região da Tijuca. As enchentes eram recorrentes na Praça da Bandeira antes da inauguração do piscinão. A Fundação Rio-Águas vai tocar essa obra para resolver o problema de vocês – disse Eduardo Paes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *