Prefeitura de Niterói e UFF lançam edital de licitação para obra do Cinema Icaraí

O prefeito de Niterói Axel Grael lançou, nesta terça-feira (10), em parceria com o reitor da Universidade Federal Fluminense (UFF), Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, o edital de licitação para as obras do Cinema Icaraí. O prédio, que teve suas atividades encerradas em 2006, será todo preservado e contará com três salas de cinema de última geração, sala para concertos, que abrigará a Orquestra Nacional da UFF, espaço gastronômico entre outras instalações.

Além da preservação de todo o patrimônio histórico, em especial o estilo art déco, a obra também irá se destacar por ter acessibilidade para os visitantes e ser sustentável. O investimento será de cerca de R$55 milhões e o prazo de execução da obra será de 12 meses, a partir da assinatura da Ordem de Início.

Além disso, o local ganhará quatro espaços de gastronomia. Segundo o anteprojeto, o Cinema terá um aumento de 1.267,00 m² de área construída.

“Com essa obra e tudo o que o cinema representa para o entorno, nós temos certeza de que todos ficarão muito satisfeitos. Existe uma geração na cidade que tem uma história pra contar sobre o Cinema Icaraí. Era um dos nossos grandes desafios e conseguimos fazer isso, em conjunto com a Universidade Federal Fluminense. A ideia era recuperar o cinema, transformando-o também em um espaço cultural, para termos condição de abrir uma parceria com a iniciativa privada e fazer com que as unidades e equipamentos possam gerar receita e emprego. A recuperação do local faz parte de um plano de recuperação do patrimônio arquitetônico da cidade e parte da memória afetiva do niteroiense”, explicou o prefeito Axel Grael.

O prefeito reiterou que além do Cinema Icaraí, o município está trabalhando em outros equipamentos arquitetônicos da cidade como: Ilha da Boa Viagem, Casa Norival de Freitas, que será sede do Projeto Jovem Aprendiz, dentre outros locais.

A reforma do Cinema Icaraí trará de volta toda a atividade do prédio histórico e vai recuperar o importante espaço cultural do município. O projeto ainda manterá as características originais do equipamento, com a inclusão de mais andares para a abertura de novos espaços.

“É comum no nosso governo entregarmos obras até antes do tempo. Não só vamos cumprir os prazos das obras como vamos deixar essa marca”, disse o vice-prefeito Paulo Bagueira.

O reitor da UFF lembrou que Niterói tem uma tripla hélice que representa a articulação do poder público, academia e empresariado na construção não só de inovação, mas como de novos negócios e empregos.

“Não são todos os municípios que podem contar com uma orquestra sinfônica pois, sozinhos, não é possível ter muita estrutura com esse nível de tecnologia de leitura contemporânea de que os dias de hoje necessitam. Temos assim o diálogo entre a história e a modernidade. E articular isso com o município e iniciativa privada é muito gratificante. É importante lembrarmos que é um investimento de 42 anos. São recursos que serão utilizados por décadas e certamente ficará um legado para a cidade”, disse o reitor Antonio Claudio Lucas da Nóbrega.

O município possui outras parcerias com a Universidades Federal Fluminense (UFF), como o prédio do Instituto de Artes e Comunicação Social (IACS), ou trabalhos Programa de Desenvolvimento de Projetos Aplicados (PDPA), uma iniciativa pioneira de produção acadêmica, voltada à gestão pública que trazem tantas ideias boas para a cidade.

Morador há mais de 30 anos de Icaraí, o engenheiro Roberto Salvador participou do lançamento do edital e frisou que é uma honra poder participar de um momento como este. Ele disse que a família guarda uma memória afetiva do cinema. Para ele, essa é uma grande conquista. Roberto representa o sentimento de muitos niteroienses que já vivenciaram histórias no Cinema Icaraí.

“Estou muito emocionado. É uma obra que vai valorizar nossa cidade, trazer mais cultura. Este projeto é um sonho realizado. Quando ele tinha seis anos, levei meu filho para ver o filme do Homem Aranha. Foi o último filme que assistimos lá. Hoje tem 23 anos e já faz engenharia. Ele tem empatia com o cinema e é uma das pessoas que estão vibrando com essa obra”, conta.

Projeto – A obra de restauração inclui a preservação da fachada e restauro do saguão com todos os seus elementos: bilheteria, bomboniere, piso, teto, portas, escadarias e, ainda, a instalação de elevador e escada rolante, oferecendo acessibilidade plena.

No salão, todos os componentes decorativos serão revitalizados e o palco será ampliado para comportar uma orquestra sinfônica. A plateia terá capacidade para 299 pessoas e será instalada uma plataforma elevada para acesso ao subsolo. O projeto também inclui a revitalização deste subsolo, abaixo do palco, para área técnica e espaço de acervo e guarda de instrumentos.

O primeiro pavimento comportará os camarins, um mezanino para 69 pessoas e um restaurante. O segundo pavimento receberá toda a infraestrutura para atender a orquestra e também estarão localizadas as áreas administrativas do empreendimento.

As salas de cinema estarão localizadas no terceiro pavimento: uma delas terá capacidade para 150 lugares e outras duas com 65 lugares cada. Além do espaço administrativo do cinema, o andar terá um café/bomboniere.

O quarto pavimento ganhará um bar bistrô e será criado um quinto pavimento, sem retirar as características da fachada, para a construção de um restaurante com varanda e vista para o mar.

Na cobertura serão instaladas as placas de módulos fotovoltaicos para a captura de energia solar. Todo o prédio também terá sistema de captação de água da chuva para reuso.

História – Construído nos anos 40, o edifício em estilo art déco foi um dos mais tradicionais cinemas de Niterói, até encerrar as atividades em 2006. Devido a importância arquitetônica, histórica e cultural, o prédio foi tombado em 2001 pelo município e em 2008 pelo Estado, e guarda na memória dos niteroienses um espaço de cultura e encontro para lazer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *