PM realiza operações em Jacarepaguá e outros pontos do Rio

A Polícia Militar (PM) realiza, na manhã desta terça-feira (7), operações nas comunidades da Gardênia Azul, Cidade de Deus e Vila Sapê, localizadas em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio. A região sofre com intensos tiroteios há pelo menos um mês, em uma guerra entre o tráfico e milicianos. Outras ações também acontecem nos morros do Andaraí, na Zona Norte, e Buraco do Boi, em Nova Iguaçu, na Baixada. Até o momento não houve registro de prisões. Uma granada e drogas foram apreendidas.A operação na Cidade de Deus é conduzida por policiais do 18º BPM (Jacarepaguá), que cercam os principais pontos de acesso à comunidade para coibir movimentações de criminosos na região.

Durante a ocupação, uma grana e drogas embaladas para serem vendidas foram apreendidas pelas equipe da unidade que atuam no local.

Já na Gardênia Azul, uma ação com objetivo de coibir o crime organizado, além de localizar e prender criminosos, está sendo feita por agentes do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) que, neste momento, ocupam a favela.

Vila Sapê

Na madrugada desta terça-feira (7), policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) fizeram uma operação emergencial na Vila Sapê, em Curicica, na Zona Oeste do Rio. Segundo a PM, a ação foi desencadeada a partir de informações de inteligência “apontando que indivíduos envolvidos em confronto ocorrido no Morro do Jordão, na Taquara, estariam escondidos no local”.

Durante a ocupação, em um dos pontos da favela, os agentes foram atacados por criminosos armados e revidaram.

Após a troca de tiros, os agentes vasculharam a área e encontraram quatro suspeitos feridos. Eles foram socorridos ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Não há informações sobre o estado de saúde deles.

Com o quarteto, os policiais apreenderam fuzil, três pistolas e uma granada. A ocorrência está sendo investigada pela Delegacia de Homicídios da Capital.


Na última segunda-feira (6), o Morro do Jordão foi alvo de uma operação da PM contra o tráfico da região. Segundo relatos, a comunidade estaria sendo usada como base pelo CV, para invadir a favela da Chacrinha, na Praça Seca.

Outras operações pelo Rio

A PM também atua, nesta manhã, na favela Buraco do Boi, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Na ação, policiais do 20º BPM (Mesquita) ocupam o local para combater o crime organizado.
No Morro do Andaraí, na Zona Norte, agentes da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade realizam uma operação para prender traficantes e coibir movimentações de criminosos na favela.

Guerra entre tráfico e milícia

A disputa por territórios entre o Comando Vermelho (CV) e grupos paramilitares na Zona Oeste assola a região há pelo menos 40 dias e se espalhou por diversos bairros e comunidades.

A Gardênia é ocupada pela PM desde o último dia 23, quando teria sido alvo de uma invasão, realizada por integrantes do CV, sob de Edgar Alves de Andrade, também conhecido como Doca e Urso.

O traficante é um dos líderes do CV e atuante na Penha, na Zona Norte. A facção teria tomado conta de áreas dentro da comunidade e expandido pontos de venda de drogas pela região.

No último dia 29, um homem apontado como o último chefe da milícia na Gardênia Azul, foi morto a tiros, durante um conflito com membros do próprio bando. Marcelo Farias, conhecido como Moral, teria sido alvo de uma emboscada montada por um dos seus braços-direitos.

De acordo com relatos de pessoas que moram na favela, a morte de Moral teria significado o sucesso do plano do CV em dominar da região que, há 30 anos, era controlada por grupos paramilitares.

Comunidade vizinha da Gardênia Azul, a Cidade de Deus tem sido utilizada como base para criminosos do CV que estariam tentando tomar o controle da favela próxima e de Rio das Pedras, também dominada pela milícia.

Por esse motivo, a comunidade, historicamente comandada pelo tráfico, tem sido um dos principais alvos de atuação da polícia em meio à guerra entre narcotraficantes e grupos paramilitares.

E outras regiões de relevância na disputa, as comunidades de Rio das Pedras, Tijuquinha e Muzema, a PM reforçou o policiamento e realiza patrulhamento ostensivo diariamente.

Moradores da região da Praça Seca também estão sofrendo com a disputa. Diversos morros do local, como a Chacrinha e o Bateu Mouche também estão na frente de batalha entre os grupos criminosos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *