14 de julho de 2024

TV Prefeito

Portal de notícias dos municípios com videos e entrevistas. Cobertura diária das cidades das regiões: Metropolitana, Serrana, Lagos, Norte, Noroeste, Médio Paraíba e Centro Sul do estado do Rio de Janeiro. O melhor da notícia está aqui.

‘Não vai ficar assim’, diz secretário da PM em enterro de sargento morto no Muquiço

O 2º sargento da PM Jefferson Alan Ferreira Cavalcanti, 41 anos, morto na Comunidade do Muquiço, em Guadalupe, na Zona Norte, foi enterrado nesta quinta (2) no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste. De acordo com a corporação, em menos de uma semana quatro agentes foram mortos no estado do Rio. O velório, que iniciou por volta das 11h30, contou com a presença de familiares, amigos, policiais militares e do Secretário da PM Luiz Henrique Marinho. 

Durante o sepultamento, a família preferiu não falar com a imprensa. Enquanto os policiais presentes estavam todos fardados e armados prestando as últimas homenagens ao colega.

“Eu acho que o próprio sepultamento já diz tudo, representa como ele era querido na corporação, um excelente profissional, que tinha uma vasta experiência, pai de filhos. E a presença hoje das pessoas no cemitério já mostra a importância dele para família, amigos e corporação. Essa é mais uma aversão ao estado, é triste! Mas como todas as outras, não vai ficar assim”, desabafou o secretário Luiz Henrique Marinho.

Segundo o Instituto Fogo Cruzado, em 2023,  19 policiais militares foram baleados na Região Metropolitana do Rio. Entre as vítimas, 8 morreram e 11 ficaram feridas. Em relação este número, o secretário lamentou e informou que vem trabalhando junto ao estado para tentar diminuir as vítimas durante as operações.

“São números que nos entristecem, são números lamentáveis, mas a gente vem em um processo de redução com investimento na corporação para melhorar a estrutura de trabalho, justamente para diminuir a vitimização. Não é normal em 59 dias aprendermos 100 fuzis e 577 pistolas, porque aí a gente ver como o estado do Rio é diferente, nós não produzimos fuzis, não temos fábricas de armas, mas apreendemos essa quantidade em menos de dois meses. Nosso estado tem características próprias e merece uma atenção especial, um estudo diferenciado, mas a gente continua investindo na corporação, com apoio do estado, dos nossos comandantes que vêm atendido nossas propostas de trabalho em troca de melhores condições”, disse.

Ainda segundo a corporação, o sargento estava de serviço e se deslocava, junto com sua equipe, pela comunidade do Muquiço, quando foi atacado por criminosos armados da região. Ele foi atingido no tórax e socorrido ao Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu.

Ele estava na corporação desde 2002 e deixa três filhos. A Delegacia de Homicídios da Capital investiga as circunstâncias do crime.

O Portal de Procurados divulgou nesta quinta (2) um cartaz pedindo informações que possam levar aos responsáveis pela morte do PM. Quem tiver qualquer informação pode entrar em contato de forma anônima pela central de atendimento através dos números (021) – 2253 1177 ou 0300-253-1177, pelo WhatsApp através do telefone (021) – 99973 1177 ou no aplicativo do Disque Denúncia RJ.

Quatro PMs mortos em menos de uma semana

No último sábado (25), o cabo Fernando Figueira Machado, 34 anos, foi morto a tiros durante ataque de criminosos na localidade conhecida como Casinhas do Bracuí, no bairro Bracuhy, em Angra dos Reis, no Sul do estado. Na ocasião, outro policial também foi baleado, mas após atendimento recebeu alta da unidade de saúde.

No mesmo dia, o PM Marcelo Félix de Almeida, que estava de folga, foi encontrado carbonizado dentro do próprio carro, na Via Light, sentido Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. De acordo com a corporação, ele havia sido baleado momentos antes na comunidade Bacia do Éden, em São João de Meriti. Equipes do 21º BPM (São João de Meriti) foram acionadas para dar apoio ao agente, mas não o encontraram na região. Posteriormente, o veículo do sargento foi localizado em chamas. O agente era lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Parque Proletário.

Nesta quinta (2), o capitão Carlos Alberto Alves, 42 anos, foi morto a tiros durante uma operação nas comunidades no Centro de Angra dos Reis, no Sul do Estado. Ele era comandante da 3ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do 33ºBPM, localizada em Camorim. Segundo a Polícia Militar, o agente chegou a ser socorrido ao Hospital Municipal da Japuíba, mas não resistiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *