Jornalista alemão é preso por armazenar pornografia infantil no Rio; polícia apura estupro de vulnerável e comércio de pornô

Um jornalista alemão foi preso por policiais civis nesta terça-feira (27) em Curicica, Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio. Rainer Adolph, de 71 anos, foi pego em flagrante armazenando material pornográfico infantil em computadores e celulares.

Na casa dele, foram encontrados itens de sadomasoquismo, vestimentas infantis, apetrechos sexuais, computadores e dezenas de hardwares de armazenamento de arquivos contendo imagens de abuso sexual infantil. Cerca de 30 mil arquivos foram localizados.

A polícia afirma que parte dos vídeos infantis foram produzidas pelo próprio alemão e que as imagens mostram crianças e adolescentes em situação de abuso. O material era produzido na casa dele, e a investigação aponta que ele vendia a pornografia para pessoas na Europa.

Nas suas redes sociais, ele compartilhava fotos de diversas meninas novas tomando banho na piscina que fica na casa dele. Em outras imagens, meninas, evidentemente menores de idade, aparecem dançando sensualmente. Fotos íntimas também foram postadas.

Em 2022, ele chegou a compartilhar um registro feito enquanto ele tomava café com uma criança.

Em uma outra rede, ele se apresentava como chefe de uma agência de fotografia e imprensa, que teria sido fundada há mais de 30 anos.

Rainer estava no Brasil desde 2000 com um visto de trabalho. Ele é investigado ainda por estupro de vulnerável e comercialização de pornografia.

A ação contou com apoio de agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco-IE), Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) e Subsecretaria de Inteligência (SSINTE).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *