CVAS e UBS Centro no combate às arboviroses em Itaperuna

Mediante os dados colhidos do Monitora-RJ da Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ), e o INFOdengue da FIOCRUZ, o município de Itaperuna, RJ, encontra-se na classificação de alerta e transmissão viral para as arboviroses dengue e chikungunya. No entanto, segundo a Coordenação de Vigilância Ambiental em Saúde (CVAS), mesmo com essas incidências, o setor está trabalhando para que esses índices não saiam do controle, praticando ações de campo para eliminação de criadouros e Educação em Saúde.

Com objetivo de conscientizar como é importante prevenir e combater o mosquito Aedes Aegypti, a Prefeitura de Itaperuna, através da Secretaria Municipal de Saúde, com o apoio da CVAS e UBS Centro, em parceria com a Empresa Portal Soluções Ambientais, promoveu uma ação educativa no Colégio Estadual Dez de Maio, na última quinta-feira, 09, para alunos do segundo período do Ensino Médio.

Com o intuito de esclarecer como a Educação Ambiental é necessária no combate ao Aedes aegypti, a bióloga Nathália Botelho (Empresa Portal Soluções Ambientais), foi convidada especialmente para ministrar uma palestra aos alunos. De acordo com a bióloga, a importância da preservação do meio ambiente é crucial para a melhoria da qualidade de vida humana e a diminuição de doenças transmitidas por animais.

“O desiquilíbrio do ambiente promove doenças como dengue, chikungunya, febre amarela, zika vírus; transmitidos neste caso, pelo Aedes aegypti, um vetor inseto. Mas existem doenças, que também podem ser fatais, transmitidas pelas pulgas, carrapatos, ratos, acidentes com aranhas e cobras. Tudo tem relação direta com as agressões ambientais que cometemos no cotidiano. Como exemplo, posso citar invasões de áreas silvestres, o desmatamento, o descarte inadequado de resíduos e as queimadas. Quando isso acontece, os animais silvestres são expulsos de seus habitats, comprometendo o bioma deles”, comenta.

Sem alternativas, eles acabam invadindo as casas, colocando as pessoas em situação de risco. Pois, o que deveria ocorrer no ciclo silvestre, entre esses animais, agora ocorre na área urbana com os humanos. Dessa forma, as pessoas podem se infectar com essas doenças, que estão diretamente relacionadas às contaminações ambientais.

Daí a relevância da Educação Ambiental, que deve começar em casa, na logística da separação do lixo caseiro. E o orgânico, e o lixo domiciliar (restos de comidas, papel higiênico usados, fezes de cães e gatos, criações) descartados em sacos próprios, para a retirada da coleta do caminhão de porta em porta. “E os recicláveis, que devem ser destinados nos Ponto de Entrega Voluntária ou Ecopontos, espalhados na cidade. Dessa forma estaremos preservando nossas vidas e a vida do planeta”, complementa a bióloga.

 

PARCERIA PARA A MELHORIA DA SAÚDE

 O CEO da Portal Soluções Ambientais, Pablo Rubens Picanço, disse que a parceria na busca da melhoria da qualidade de vida, é sempre bem-vinda. Segundo Pablo, devemos fomentar nos jovens as práticas sustentáveis, com ações que promovam sustentabilidade.

“Por isso, nós da Portal, difundimos a importância da Educação ambiental. Além de destacarmos o quanto é necessário o meio ambiente para a saúde humana. Sempre que somos convidados para uma palestra, abordamos questões essenciais ao equilíbrio do meio ambiente, como o descarte de resíduos, a destinação final do lixo, a devolução de embalagens, que é a logística reversa e, o mais importante, a prevenção para que não haja contaminações, nem na água, nem nos solos, nem no ar. Assim, mantemos um ambiente propício e combatemos a proliferação de animais nocivos. E consequentemente, estaremos nos protegendo das doenças que eles podem nos transmitir”, finaliza o CEO da Portal Soluções Ambientais.

 

AGENTES EM TOTAL ALERTA

Segundo José Mauricio Jorge, coordenador da CVAS, todos os esforços para manter o município sobre controle estão sendo executados.

“Estamos com todo o efetivo de agentes de combate às endemias (ACE), no campo e em total alerta. Sabemos que o Aedes aegypti ficou mais eficiente. Por isso, temos que estar todos unidos no combate ao mosquito. Não podemos deixar que um simples alado, tão pequeno nos cause tantos danos, por isso precisamos da parceria de toda a população”, reforça o coordenador.

Durante a ação no Colégio Dez de Maio, também estiveram presentes a equipe de ACE e da Enfermagem da UBS Centro; juntamente com o técnico em vigilância em saúde com ênfase no combate às endemias da CVAS, Gesiney Botelho, esclarecendo, tirando dúvidas e informando aos alunos sobre como serem multiplicadores dos cuidados e a prevenção contra o Aedes aegypti.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *