Com viagem aos EUA, Lula e Bolsonaro ficam a pouco mais de mil quilômetros de distância

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou na tarde desta quinta-feira (horário local, noite no Brasil) nos Estados Unidos, onde, entre outras agendas, se encontrará com o presidente americano Joe Biden nesta sexta. O brasileiro foi direto à Blair House, onde ficará hospedado com sua comitiva. A escolha do local, que fica a menos de 200 metros da Casa Branca, está ligada a questões de segurança.

Mesmo já tendo dito que pretende voltar ao Brasil “nas próximas semanas”, o ex-presidente Jair Bolsonaro também está nos Estados Unidos, “encurtando” a distância, ao menos física, entre os dois concorrentes na última eleição presidencial.

Na manhã desta sexta, o petista se reunirá com o senador independente Bernie Sanders, do estado de Vermont. Sanders integra o grupo de parlamentares americanos que pedem a expulsão de Bolsonaro dos EUA. O ex-presidente está na Flórida desde de 30 de dezembro, quando entrou no país usando um visto oficial, mas, agora, aguarda a resposta ao pedido apresentado junto às autoridades americanas para obter um visto de turista.

O tempo de permanência de Bolsonaro nos EUA ainda é incerto. No momento, ele está hospedado na Flórida — em um local que não foi divulgado. O estado na costa leste do país fica a cerca de 1.300 km da capital americana, onde Lula terá suas agendas ao longo desta sexta-feira.

Ao podcast ‘The Charlie Kirk Show’, apresentado pelo militante de extrema-direita americano Charlie Kirk, Bolsonaro disse que, assim que retornar ao Brasil (o que deve, segundo ele, ocorrer “nas próximas semanas”), vai fazer “oposição responsável ao atual governo”.

No mesmo dia, Bolsonaro também participou de um evento organizado pelo grupo de extrema-direita criado por Kirk, Turning Point USA (TPUSA), em Miami, na Flórida, estado onde o ex-presidente está hospedado desde que deixou o Brasil a dois dias do fim de seu mandato, em 30 de dezembro de 2022. Durante o evento, Bolsonaro disse que está sendo bem recebido nos EUA, “em especial pela população brasileira”, e justificou sua ida ao país:

— A minha intenção de vir para cá é ficar afastado do início do governo que assumiu agora. Eu sabia que seria bastante conturbado e eu não queria ser acusado de colaborar com uma forma desastrada de começar aquele governo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *