Campos: Atendimento odontológico e palestras são promovidos em unidades prisionais

O Programa Nacional de Assistência Integral à Saúde da Pessoa Privada de Liberdade (PNAISP), além de disponibilizar serviços odontológicos em três unidades prisionais de Campos, está oferecendo palestras educacionais relacionadas à saúde bucal para os internos desde o início deste ano.
O coordenador do PNAISP, Bruno Cordeiro, explicou a importância de disponibilizar esses serviços nas unidades para evitar transtornos de logística. “A presença do dentista dentro das unidades prisionais tem sido crucial para a redução do número de saídas dos detentos para tratamento odontológico nas unidades de emergência mais próximas. Isso não apenas facilita o acesso ao cuidado, mas também contribui para a segurança e a ordem dentro das instituições prisionais”, disse o coordenador.
No último dia 9, uma palestra realizada na Casa de Custódia Dalton Crespo de Castro pelo dentista da unidade, Maurício Almeida Maciel, e pela auxiliar de saúde bucal Margarete Alves Martins, teve como objetivo fornecer informações e orientações relacionadas à saúde bucal. O tema abordado foi a prevenção e hábitos saudáveis relacionados à saúde oral, e contou com a participação ativa dos internos, que se mostraram receptivos e interessados no assunto.
A dentista do PNAISP Micaela Albertini disse que, além das palestras educativas, o PNAISP tem trabalhado para garantir o acesso a serviços odontológicos de qualidade dentro das unidades prisionais. “Cada unidade prisional conta com uma equipe multidisciplinar, que inclui dentistas e auxiliares de saúde bucal, e tem realizado uma variedade de procedimentos, como extrações, restaurações e tratamento periodontal”, destacou Micaela.
Os serviços também são disponibilizados no Presídio Carlos Tinoco da Fonseca e no Presídio Feminino Nilza da Silva Santos, que contam com suas próprias equipes odontológicas.
 
PROGRAMA — O município de Campos, por meio da portaria nº 2.715, publicada em 14 de outubro de 2021 pelo Ministério da Saúde, teve aprovada sua adesão à Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP). O objetivo do programa é garantir à população carcerária o acesso a uma saúde de qualidade. O atendimento médico, psicológico e de enfermagem ocorre dentro das penitenciárias, evitando que os detentos saiam para consultas. O programa conta com uma equipe multidisciplinar, formada por médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, farmacêutico, fisioterapeuta, assistente social, psicólogo e psiquiatra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *