Ações da Prefeitura de Três Rios buscam reduzir gravidez na adolescência

A gravidez não planejada na adolescência pode causar inúmeros riscos à saúde da mãe e do bebê, além de provocar impactos socioeconômicos para as famílias. Por essa razão, a Prefeitura de Três Rios, por meio da Rede de Atenção à Saúde da Mulher e da Atenção Primária à Saúde, tem fortalecido as ações de planejamento familiar para diminuir a incidência de gravidez nessa faixa etária.

Embora registrando menores casos de natalidade adolescente, no Brasil, o número ainda requer atenção. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de cada cinco bebês que nascem, um tem a mãe com idade entre 15 e 19 anos de idade.

Além do trabalho de educação e prevenção constantes realizado pela Rede de Atenção à Saúde da Mulher em parceria com a Atenção Primária à Saúde, uma das ações mais eficazes é a oferta das informações sobre os direitos sexuais e reprodutivos e a possibilidade de inserção do Dispositivo Intrauterino (DIU) de cobre e hormonal, no Centro de Referência à Saúde da Mulher.

Como ter acesso ao Dispositivo Intrauterino (DIU)

Para ter acesso, a mulher necessita buscar orientações na Unidade Básica de Saúde próxima ao seu local de residência, ser avaliada pelo médico e enfermeiro da Saúde da Família e, em seguida, passar pela consulta com a ginecologista e psicólogo no Centro de Referência à Saúde da Mulher. Posteriormente, alguns exames serão solicitados, tais como teste de gravidez, preventivo e ultrassonografia transvaginal. 

Para a coordenadora do Centro de Referência à Saúde da Mulher, Ana Cláudia Sierra, a orientação pelo profissional de saúde e o fortalecimento do diálogo entre os adolescentes com seus cuidadores é a saída para enfrentar esse problema de saúde pública, que promove ainda mais a desigualdade social e o abandono escolar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *