Vitor Belfort explica saída do One, revela luta com Holyfield e quer revanche com Spider no boxe

Aos 44 anos e sem lutar desde 2018, Vitor Belfort parece manter a motivação para seguir em atividade. Depois de deixar o Ultimate, o Fenômeno assinou contrato com o One Championship e chegou a ter luta anunciada contra Alain Ngalani, mas o confronto jamais saiu do papel. Dois anos depois de ter assinado com a companhia, o brasileiro encerrou seu compromisso com os asiáticos e agora pretende lutar boxe, seguindo tendência de outros nomes do MMA que migraram, como Anderson Silva, que venceu Julio Cesar Chavez Jr. neste sábado. O lutador já tem data marcada para entrar no ringue: dia 18 de setembro vai enfrentar Oscar de la Hoya.

Vitor Belfort foi anunciado pelo ONE Championship, assinou contrato, mas jamais lutou pela organização — Foto: Evelyn Rodrigues

Em entrevista para o Combate.com, Belfort explicou a passagem pelo One Championship sem conseguir entrar em ação pelo evento.

– Na realidade, assinei com o One porque estava com vontade de fazer várias lutas interessantes. O MMA está entrando em um estágio que o UFC já se tornou o próprio esporte e o modelo de negócio deles é muito bom para o UFC, não tão bom para os atletas em termos de business. Eu falo que um dos melhores CEO que existe é o Dana White, só que ele trabalha para os investidores. Eu, como atleta antigo, sempre quis fazer lutas históricas e tem várias pra gente fazer. Fiquei dois anos no One e consegui não fazer nenhuma. Adoro o Chatri (Sityodtong, presidente do One), foi bacana, mas falei: “Não dá mais pra gente continuar. Tentei de tudo pra levar pro Brasil”. Houve a dificuldade, eles são muito focados na Ásia. Meu sonho sempre foi boxear e lutar MMA. Em 1998 me ofereceram contrato milionário pra lutar boxe, mas falei que não porque teria que deixar o MMA. Por acaso meu sonho sempre foi combinar boxe e MMA – contou Vitor, que acredita que a pandemia prejudicou seus planos com o One.

– A pandemia pegou, eu acho que o objetivo deles era fazer outras lutas, não fazer as lutas que eu queria, porque o custo era muito alto. Não sei. Meu relacionamento com eles é ótimo e foi justamente o que Chatri falou… Não deu, frustração pra ele, pandemia, são as coisas que acontecem. O importante é você achar o caminho. O Dana White, no meio da dificuldade, criou o Apex. Tem que se adaptar. Não adianta ficar sentado e reclamando. “Por que o fulano ganha mais dinheiro, e eu não?”. Faça o melhor, se dedique o melhor, o mundo é injusto e você tem que saber fazer o caminho. Criar e se adaptar às circunstâncias da vida, sem negociar os valores importantes na sociedade.

Além do duelo com De la Hoya, Belfort revelou que em dezembro também enfrentará Evander Holyfield e declarou ter ficado feliz com a vitória de Anderson Silva sobre Julio Cesar Chavez Jr.

– A luta agora foi remarcada, vai ser 18 de setembro, contra o Oscar de la Hoya, e o Holyfield em dezembro. Estou muito feliz de poder ver o Anderson campeão, estava apostando nele. Os brasileiros ganhando me traz uma alegria muito grande.

Belfort disse que os fãs podem esperar que ele faça lutas históricas em breve e uma das que está em seus planos é uma revanche contra Anderson Silva, desta vez no boxe. Os dois se enfrentaram no UFC em 2011, quando o Spider nocauteou com um chute frontal.

– Eu acho (que vamos nos enfrentar no boxe) (risos). Dizem que a revanche é algo que todo mundo gosta. Não é o prato que a gente come, é o prato que vocês comem. Meu recado (para Anderson) é: nos vemos em breve – concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: