Vendedor de picolé de Arraial do Cabo ganha caiaque personalizado para oferecer produtos em escunas

Edson Gigante com o caiaque personalizado que ganhou de presente para poder trabalhar nas águas de Arraial do Cabo

O mineiro Edson Portela Jr, o vendedor de picolé que nada quase diariamente com um isopor para comercializar seus produtos nas escunas de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, agora tem um “ajudante”. Depois que sua história chegou até a Nestlé, dona da marca dos sorvetes vendidos pelo ambulante, a distribuidora dos produtos o presenteou com um caiaque personalizado para que ele possa trabalhar com mais segurança e agilidade. Na semana passada, representantes da Froneri foram até a cidade litorânea para conhecer e entregar pessoalmente o novo transporte a Gigante, como o vendedor é conhecido na região. Com um sorriso largo, o ambulante gravou um vídeo para mostrar a embarcação e agradeceu todo apoio que tem recebido.

— Aqui com o caiaquinho. Agradecer primeiramente a Deus, depois ao pessoal da Nestlé e a todos que me ajudaram. Obrigado para todo mundo. Vou trabalhar com ele agora e não vou precisar mais nadar, graças a Deus. Só tenho a agradecer a todos que me apoiaram, que mandaram mensagens, que fizeram essa história circular, principalmente a Tatiana, que me viu e divulgou o meu trabalho nas redes sociais — diz Gigante.

A história e a disposição diária de Edson para oferecer os picolés aos turistas, mantendo a higiene e o produto intacto no isopor, comoveu a empresa. Foi através da postagem da jornalista Tatiana Zanatta nas redes sociais, que marcou a Nestlé para pedir ajuda, que a distribuidora conseguiu entrar em contato com o ambulante e lhe oferecer a embarcação. O diretor de vendas da Froneri Brasil, Ismar Trevisan, afirma que Gigante acaba inspirando outros trabalhadores e que a sua atitude precisa valorizada, por isso, o empenho em ajudá-lo na rotina de trabalho.

— A história logo começou a circular internamente causando uma comoção geral pelo bravo empenho do Edson e sua escolha inusitada de venda para alcançar possíveis clientes e levar sua renda para casa ao final do dia. Não hesitamos em nos mobilizarmos para ajudá-lo! Esperamos que o caiaque cumpra esse papel. Temos inúmeras demonstrações de criatividade de nossos parceiros, em especial nas Regiões litorâneas, mas o caso do Edson surpreende pela resiliência e esforço em adotar um meio que é incomum nesta modalidade de venda — diz Trevisan.

Se antes vivia de caronas dos botes das escunas para agilizar o seu trabalho, agora Gigante tem seu próprio caiaque para não deixar a clientela ir embora sem antes comprar um picolé. Ao mesmo tempo, não vai mais precisar nadar e puxar o isopor com os produtos pela água. Em um dia bom, Edson chega a tirar entre R$ 150 e R$ 200 com a venda dos picolés, enquanto num movimento ruim, o valor cai para R$ 100. A carreira de vendedor de sorvetes começou em 2016, em Guarapari (ES), e ele tem certeza de que não quer viver fazendo outra coisa.

Em tempos de pandemia do coronavírus, não é todos os dias que ele consegue trabalhar. Da mesma forma, as vendas diretas de ambulantes de picolé nas praias ficaram nulas durante os períodos de restrições até a autorização para o retorno deles. Mesmo nesse período de um ano, o faturamento da distribuidora de sorvetes teve um crescimento de 20% se comparado com o ano de 2019, segundo dados da Nielsen de 2020.

Segundo a empresa, isso consiste na recuperação da presença da Froneri no mercado após reabertura do comércio. Se comparamos o fechamento de 2020 com o mês de maio de 2020, nosso momento mais crítico na pandemia, a Froneri teve um crescimento de 20% das vendas e um aumento de 2,8% de participação de mercado. Por isso, histórias de superação como a de Edson Portela Jr., que mesmo com uma locomoção mais limitada pela água não desiste de levar o produto ao consumidor, ajudam para que outros profissionais usem a criatividade e

— Sem dúvida a história do Edson é inspiradora e se juntará ao nosso time de gigantes. A Froneri já atua diariamente para ser a melhor empresa de sorvetes e alimentos congelados do mundo, fortalecendo o relacionamento com consumidores e colaboradores. Acreditamos que ter as pessoas certas trabalhando conosco é fundamental para atingir resultados positivos, desenvolvendo em conjunto os nossos talentos, respeitando e abraçando a diversidade. A combinação desses fatores é o que leva nossa marca a se consolidar cada vez mais e fortalecer os nossos perante um mercado cada vez mais competitivo — diz o diretor de vendas.

Edson Gigante nadando com o seu isopor de picolés na Praia do Forno, em Arraial do Cabo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: