Vasco zera pela primeira vez com Ramon, mas pouco sofre contra o Grêmio e busca equilíbrio

O Vasco não é mais o líder do Campeonato Brasileiro, porém segue invicto e com melhor aproveitamento na competição (83,3%) – tem um jogo a menos do que o Internacional, primeiro colocado. Passou em branco pela primeira vez com Ramon Menezes, mas não sofreu gol e segue como defesa menos vazada (só levou gol na vitória por 2 a 1 contra o São Paulo, na terceira rodada).

O empate sem gols contra o Grêmio, no último domingo, em casa, foi um jogo pegado, fraco tecnicamente e com poucas chances de gol para os dois lados. Não merece comemoração, mas precisa ser citado como jogo que reforça uma característica constantemente cobrada por Ramon Menezes: “jogar como Vasco da Gama”.

Artilheiro do Vasco, Germán Cano pouco foi acionado contra o Grêmio — Foto: André Durão

Se pouco agrediu, o Vasco dificilmente foi agredido. É verdade que Alisson, do Grêmio, quase abriu o placar nos 45 minutos iniciais, mas parou em Fernando Miguel e na trave. Depois disso, o Tricolor Gaúcho, a exemplo dos donos da casa, pouco chegou à meta adversária. Também faltou poder de fogo ao time carioca. Praticamente nulo no primeiro tempo, o ataque vascaíno teve duas boas chances na etapa final, com Ricardo Graça e Vinícius. Mas ficou nisso.

– Todo mundo queria vencer, mas do outro lado também há um grande adversário, que nos respeitou muito. Jogamos novamente como Vasco da Gama – afirmou Ramon.

Vasco finaliza menos no Brasileiro, e Ricardo tem a bola do jogo

Se contra rivais mais fracos em âmbito regional sobrou nas finalizações (29 contra Madureira e 15 contra o Macaé), o Vasco caiu no quesito dentro Campeonato Brasileiro. Sempre foi inferior aos adversários nos quatro duelos disputados (veja abaixo), mas pouco sofreu também.

  • Vasco 8 x 12 São Paulo
  • Vasco 6 x 21 Ceará
  • Vasco 7 x 15 Grêmio

Apesar da inferioridade no número de finalizações, o Vasco vinha de três vitórias. Talvez porque a bola vinha chegando ao homem certo: Germán Cano. O argentino precisa de poucas chances para marcar. Não teve nenhuma contra o Grêmio. E a bola do jogo caiu nos pés do zagueiro Ricardo Graça, que chutou para longe, mesmo com o goleiro Paulo Victor vendido no lance.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito