Vasco fecha primeira fase da reformulação com time definido, mas briga por posições promete esquentar

A pouco menos de quatro semanas da estreia contra o Operário-PR, em São Januário, o Vasco, aos poucos, começa a ganhar uma identidade para a Série B. Com sete contratações, 11 saídas, integração de alguns jovens das categorias de base e a chegada de uma nova comissão técnica, o time, hoje, tem uma cara bem diferente da equipe rebaixada em fevereiro.

É muito provável que novos reforços cheguem ao longo da temporada, outras saídas podem acontecer, mas a primeira parte da reformulação foi concluída. Hoje, inclusive, o Vasco termina o Campeonato Carioca com uma equipe titular definida, algo que não aconteceu em toda temporada passada, por exemplo.

Vanderlei, Léo Matos, Ernando, Castan, Zeca; Andrey, Galarza, Marquinhos Gabriel; Gabriel Pec, Morato e Cano.

Esses são os 11 titulares de Marcelo Cabo hoje. O torcedor mais antenado tem essa escalação na ponta da língua, o que não significa que esse time começará e, muito menos, terminará a Série B com essa formação. Em um elenco tão equilibrado, sem grandes estrelas, a disputa por posição promete ser intensa até o fim do ano. Algumas, aliás, já dividem torcedores. Atualmente, fora as laterais e o centroavante, as disputas estão abertas.

Gol

Titular do gol do Vasco, Vanderlei tem a sombra de Lucão — Foto: Reprodução / Vasco TV

Marcelo Cabo deixou claro que Vanderlei chegou a São Januário para ser titular. Aos 37 anos, o clube aposta na experiência e na liderança do goleiro para conduzir o gol do clube com tranquilidade na Série B. A sombra de Lucão, no entanto, é uma realidade. Aos 20 anos, o jovem teve sequência, agradou e provou que pode ir bem em grandes jogos.

Zaga

Leandro Castan discute com Filipe Luis após vitória do Vasco. Zagueiro recuperou a posição de titular — Foto: André Durão

A experiência largou na frente da juventude, mas a disputa por posições na defesa promete ser intensa. Ernando foi contratado para ser titular, e Leandro Castan recuperou espaço após acertar a permanência no Vasco.

As crias da Colina, no entanto, estão de sobreaviso. No elenco profissional desde 2017, Ricardo Graça, aos 24 anos, aguarda uma oportunidade para ser firmar. Ele começou a temporada como titular e capitão do Vasco, mas Marcelo Cabo acabou optando pela experiência em um primeiro momento. Miranda, 21 anos, é outro que costuma ir bem quando tem chance. Os jovens Ulisses e Menezes correm por fora.

Ricardo Graça é mais uma opção de Cabo para zaga — Foto: André Durão

Laterais

Setores muito criticados nas últimas temporadas, as laterais do Vasco têm donos nesse momento. Léo Matos e Zeca foram bem no Campeonato Carioca e hoje estão léguas à frente da concorrência.

Léo Matos comemora gol de cabeça contra o Flamengo — Foto: Rafael Ribeiro/Vasco da Gama

Na direita, Cayo Tenório aparece como boa opção quando Léo Matos, que costuma receber muitos cartões, não estiver à disposição. O jovem, de 22 anos, vem recebendo oportunidades com certa regularidade desde a temporada passada e tem evoluído. Na esquerda, Riquelme e MT, improvisado, são os reservas de Zeca. O clube ainda avalia buscar um lateral mais experiente para posição.

Meio de campo

Marquinhos Gabriel tem pouca concorrência na armação — Foto: CÉLIO MESSIAS/UAI FOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Com as atuais peças do elenco, a briga entre os volantes deve ser mais quente. Após terminar mal o Brasileiro, Andrey ressurgiu bem no Carioca e recuperou a posição. Ele tem jogado ao lado de Matias Galarza. O jovem paraguaio, de 19 anos, chegou com tudo ao elenco profissional, furou a fila, cativou torcedores e comissão técnica e vem sendo titular.

Há outras boas opções no elenco. Recém-contratado, Romulo traz experiência ao setor e vai brigar por posição. Com características um pouco mais defensivas, Bruno Gomes é outro volante bem avaliado Além deles, os jovens Juninho e Caio Lopes têm oscilados, mas são nomes com potencial para ganhar espaço no decorrer da temporada.

Romulo estreou contra o Madureira e vai brigar por posição no Vasco — Foto: André Durão

Na função de armador, Marquinhos Gabriel tem pouca concorrência. Laranjeira e Carlinhos são os substitutos naturais no elenco, mas ainda precisam evoluir para brigar pela titularidade. Em caso de necessidade ou opção da comissão técnica, Morato e Gabriel Pec podem jogar centralizados.

Ataque

Pec virou realidade e hoje é titular de Marcelo Cabo — Foto: JORGE RODRIGUES/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Cano é o principal nome do Vasco e indiscutível no ataque. A briga para jogar ao seu lado, no entanto, promete ser boa. Melhor jogador do time no Carioca, Gabriel Pec fez por onde merecer a titularidade momentânea. Morato, que chegou com prestígio, recebeu a camisa 10 e marcou um golaço contra o Flamengo, hoje completa o trio de atacantes.

Mas tem briga. Após uma longa inatividade, Léo Jabá vem entrando aos poucos no time e tem deixado boa impressão. Titular no início da temporada, Talles Magno se recupera de uma cirurgia no joelho, mas a previsão é que esteja à disposição até o início da Série B. Os jovens Vinícius, Figueiredo e João Pedro correm por fora.

Titular no início da temporada, Talles Magno se recupera de lesão e deve estar à disposição até o início da Série B — Foto: Rafael Ribeiro/Vasco da Gama

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: