Vasco e Castan discutirão redução após jogo com a Caldense; alongamento da dívida é opção

Alexandre Pássaro, Marcelo Cabo e Leandro Castan conversaram nas últimas semanas sobre o futuro do capitão vascaíno. Mas decisões só serão tomadas após o jogo com a Caldense, na quinta-feira, às 17h30, em Poços de Caldas. Em comum há a vontade da sequência do zagueiro de 34 anos e a certeza de que as partes terão de ceder.

A ideia é que Leandro Castan, ciente das dificuldades financeiras do Vasco, reduza o salário em 2021, ano no qual a equipe disputará a Série B. Em 2022, porém, os termos que estão em vigência no atual contrato, que é válido até dezembro de 2022, podem voltar a vigorar. O formato do acordo ainda é discutido pelos dois lados.

Discute-se também a possibilidade de Castan receber o que tem direito após o término de seu contrato, e a dívida do Vasco com o atleta seria alongada desta forma. Ou seja, o pagamento seria reparcelado.

– Desde o início da reformulação do elenco, o Pássaro demonstrou interesse em contar com o Leandro, e o Leandro em ficar no Vasco. Sabíamos obviamente das dificuldades financeiras que o Vasco passaria ao longo do ano e, assim como o Vasco, através do Pássaro, demonstrou interesse em esportivamente contar com o Leandro. O Leandro também demonstrou interesse em ajudar esse fluxo financeiro do Vasco ao longo desses próximos anos – disse Matheus Braga, empresário de Castan e sócio da Lifepro.

O Vasco atualmente deve dezembro, janeiro, fevereiro e o 13º de 2020 a Leandro Castan. O zagueiro também está inserido num acordo celebrado pela diretoria anterior, em julho do ano passado, quando também um atraso de três folhas e direitos de imagem com o elenco foi repactuado em 12 parcelas.

Castan no treino de reapresentação do elenco principal do Vasco, em oito de março — Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Leandro Castan, de 34 anos (faz 35 em novembro), chegou ao Vasco em 2018 e rapidamente caiu nas graças da torcida. A relação teve um ruído em 2020, quando o capitão caiu de rendimento e desagradou torcedores após entrevista posterior ao jogo com o Fortaleza. Como sempre reforça sua gratidão ao clube por ter lhe acolhido no retorno ao Brasil após passar por cirurgia delicada no cérebro quando jogava pela Roma, na Itália, Castan quer seguir em São Januário.

Marcelo Cabo, após o jogo com o Nova Iguaçu, também não escondeu o desejo de continuar contando com os serviços do capitão, com quem afirmou ter tido uma reunião proveitosa. Há alas dentro de São Januário que são contra a permanência do camisa 5, mas o desejo tanto de Cabo quanto de Alexandre Pássaro pela sequência da relação tem peso na questão.

– Tive uma reunião muito boa com o Castan. Vamos procurar contar com ele na continuidade da temporada. Ele vem de período de transição, está em processo de evolução. Hoje ele é atleta do Vasco e assim que estiver recuperado, vamos tentar contar com Castan, sim – disse o treinador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: