Vasco e 777 Partners finalizam contrato, e proposta passa a ser analisada por comissão

Após quatro meses de negociações, enfim Vasco e 777 Partners chegaram ao contrato definitivo para a venda de 70% da SAF do clube. O documento, com centenas de páginas, foi finalizado na noite desta terça-feira.

O acordo agora está em fase de assinaturas, entre Brasil e Estados Unidos, e será entregue à Comissão Especial formada no Vasco para análise da proposta, antes de passar por votação no Conselho Deliberativo e na Assembleia Geral. As partes confiam que o processo seja concluído até meados de julho.

Em nota publicada nesta terça, o Vasco informou que “a Due Diligence foi concluída com a anuência entre as partes dos termos pré-acordados no memorando de entendimento assinado em fevereiro passado, que tem como pontos principais a venda para a 777 Partners de 70% das ações da futura Vasco SAF por R$ 700 milhões e a assunção pela SAF de até R$ 700 milhões de dívidas do CRVG“.

Com a proposta formalizada, após as assinaturas, entra em ação a Comissão Especial do Conselho Deliberativo. O grupo de 15 membros presidido por Roberto Duque Estrada, 2º vice-presidente Geral do Vasco, será responsável por emitir parecer favorável ou não à venda de 70% da SAF do clube ao grupo americano. Eles terão até 15 dias (prorrogáveis por mais 10) para encaminhar o parecer.

O parecer é o ponto de partida para as convocações da reunião no Conselho Deliberativo e da votação na Assembleia Geral de sócios. Por determinação do estatuto, é obrigatório haver o prazo de cinco dias entre a convocação e a realização da votação no CD. No caso da AGE, esse prazo é de 10 dias.

Embora a palavra final seja dos sócios (ou seja, a AGE deverá ser realizada com ou sem a aprovação do CD), não existe a possibilidade de haver convocações simultâneas. Portanto, a AGE só será convocada após a reunião no Conselho Deliberativo. São esses os principais prazos que o Vasco deverá respeitar a partir da oficialização da proposta:

  • Parecer da Comissão Especial – até 25 dias
  • Convocação do Conselho Deliberativo – 5 dias
  • Convocação da AGE – 10 dias

No caso da Assembleia Geral, antes da convocação final, o presidente Otto Carvalho precisa conduzir a junta deliberativa, que analisa a situação dos sócios e fecha a lista dos que estão aptos a votar. Abre-se, a partir de então, um prazo de cinco dias para impugnação dos sócios e mais dois dias para análise das impugnações. Esse processo pode acontecer a partir de agora. Portanto, deve ser finalizado antes do parecer da comissão presidida por Duque Estrada.

A urgência na conclusão do negócio tem a ver com a abertura da janela de transferências, em 18 de julho – ela fica aberta até 15 de agosto. Com o futebol vascaíno nas mãos da 777 até lá, a expectativa é de um investimento maior para reforçar o time para o segundo turno da Série B.

Além disso, o clube já gastou os R$ 70 milhões do empréstimo feito pela empresa em março passado e, conforme alerta feito pelo Conselho Fiscal, há “necessidade de geração de caixa para o curto prazo, visando a continuidade do cumprimento dos compromissos assumidos e programados para o decorrer dos próximos meses”. O Vasco está operando com recursos próprios no momento.

O contrato prevê que a 777 invista R$ 700 milhões no Vasco dentro de três anos. Depois de ceder R$ 70 milhões por meio de um empréstimo-ponte, a empresa tem o compromisso de injetar outros R$ 120 milhões logo após a aprovação dos sócios em Assembleia Geral.

A 777 é dona de três clubes na Europa: Genoa (Itália), Standard Liège (Bélgica) e Red Star FC (França). Além disso, o grupo tem uma participação minoritária no Sevilla.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.