Uso de máscara volta a ser obrigatório em escolas e estabelecimentos de saúde de Campos

Campos volta a obrigatoriedade do uso de máscara de proteção facial nas escolas pública e privada e estabelecimentos de saúde. Nos demais espaços fechados, o uso é facultativo. A medida foi decidida durante a 36ª Reunião do Gabinete de Crise Covid-19 e Outras Doenças Emergentes e Reemergentes, nesta segunda-feira (21), no auditório do Centro Administrativo José Alves de Azevedo (CAJAA) e será publicada no diário oficial do município ainda hoje.

Durante o encontro, no formato virtual, também foi anunciado o início da aplicação da vacina contra a Covid-19 para crianças com comorbidade, na faixa etária entre 6 meses e 2 anos, 11 meses e 29 dias, já a partir desta terça-feira (22), além de reforçar a necessidade de avançar com as doses de reforço.

A aplicação dessas e outras medidas, como a higienização correta das mãos, faz frente ao aumento de diagnósticos de casos de Covid-19, provocado pela subvariante BQ-1 da ômicron no Estado do Rio de Janeiro e aos baixos índices de cobertura vacinal, no município, principalmente das crianças de 5 a 11 anos, que até a última sexta-feira (11) somava 33.246 com a primeira dose e 20.166 com a segunda dose. Na faixa etária de 3 e 4 anos, somente 597 receberam a primeira dose e 37 a segunda dose. Considerando todo o público elegível, acima de 3 anos, para a vacinação contra a covid-19, a cobertura está em 84,95% de primeira dose e 77% da segunda dose mais a dose única. Para a terceira dose é de 44,85% e para a quarta dose é de 18,89%.

A reunião foi conduzida pelo secretário Paulo Hirano e o responsável técnico pela Vigilância e Saúde, Charbell Kury. Também participaram o subprocurador geral, Gabriel Rangel, o assessor chefe do Gabinete do vice-prefeito, Marcelo Feres, o chefe do Gabinete da Procuradoria, Leonan Rodrigues, o secretário de Comunicação, Sérgio Cunha, e representantes do Ministério Público, Defensoria Pública e da sociedade civil organizada.

Ao falar sobre a obrigatoriedade do uso de máscara, Paulo Hirano relembrou que o município vem realizando todos esforços para conscientização dos pais para que levem os filhos para serem vacinados. “Lembro sempre que a criança não tem essa autonomia e nem lhe é facultado este poder. Então, a obrigação é dos pais e responsáveis. A gente já discutiu isso em outro momento, já recomendou, já acionamos o Ministério Público, com base no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), no sentido que possa nos ajudar a intervir e conscientizar. Se tivéssemos obtido resultados de sucesso nessas ações de conscientização e responsabilização dos pais, com certeza não precisássemos, neste momento, recomendar o uso de máscara”, disse.

Hirano foi bastante enfático ao dizer que “nenhuma recomendação emana desse gabinete que não seja no sentido de preservar a vida, de preservar a saúde da população. É preciso que isso fique muito claro. Cada vez mais que a nossa população tenha consciência e se responsabilize sobre as nossas crianças, com certeza teremos uma cidade melhor, uma segurança maior para nossas crianças”, enfatizou.

O município está num momento de alerta pela subida significativa dos números de casos positivos, de aumento no número de pessoas que estão buscando os hospitais e também do registro, no final de semana, de dois óbitos em decorrência de complicações da Covid-19. Por isso, além da obrigatoriedade do uso de máscara em escolas públicas e privas e estabelecimentos de saúde, ficou definida a recomendação do uso no transporte público, manutenção da vacinação e intensificação da testagem, inclusive a realizada nas escolas por meio da vigência de sentinela.

“Essas recomendações irão trazer maior segurança e vamos continuar vigilantes como tem sido em todo departamento da Secretaria de Saúde, principalmente a Subsecretaria de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde”, completou Hirano.

ALERTA IMPORTANTE – Com base nos dados apresentados no gabinete, Charbell Kury explica que uma nova onda da doença está em curso e é bem parecida com a vivenciada em maio, junho e julho e a responsável por isso são a variante Ômicron, especialmente a BA-5, e suas sublinhagens.

“A gente sabe que ela causa quadros severos em pessoas com comorbidades, especialmente idosos acima de 80 anos. Isso leva a internações e, eventualmente, óbitos. Então, a maior estratégia que a gente tem que ter é evitar e diminuir a circulação viral. Isso pode ser feito de várias maneiras e, entre elas a sugestão de medidas não farmacológicas, pois até que tenhamos as vacinas de segunda geração, a gente tem que segurar com o uso de máscaras e outras medidas. Além disso, também fortalecer a vacinação de terceira e quarta doses, pois ainda estamos com índices em 50% de terceira dose e 20% de quarta dose”, disse Charbell.

Sobre as vacinas de segunda geração, as chamadas vacinas bivalentes, Charbell explica que irão funcionar como reforço. Logo, para receberem esse imunizante, as pessoas terão que ter tomado a vacina monovalentes, que são as que estão sendo aplicadas atualmente. “É a vacina que tem a cepa original associada a variante ômicron, cepas BA-4 e BA-5. Então ela consegue bloquear a transmissão, ela aumenta em quatro vezes os anticorpos neutralizantes acima de 55 anos se comparado a uma dose extra de vacinas antigas de Covid-19. Então, não se pode tomar as vacinas bivalentes sem antes tomar as monovalentes, pois ela é um reforço. Ela sozinha não funciona e então, pare de ser teimoso e complete seu esquema vacinal”, alertou.

Outro alerta feito pelo especialista é que crianças representam um número importantíssimo, aproximadamente 20%, de indivíduos que podem contrair Covid-19. “Acontece que por muito tempo, acreditou-se que crianças não pegavam Covid, mas é elas pegam. Somente em 2022, foram quase 500 óbitos de crianças menores de cinco anos de idade. E elas podem ter quadros severos, internação em UTI, síndrome inflamatória multissistêmica, complicações como artrite reumatoide, complicações como púrpuras e a vacina atenua e muito esses quadros graves. A vacina é segura, então vacinem seus filhos e, ao mesmo tempo, enquanto a gente está aumentando essa cobertura vacinal, as máscaras serão importantes nesse momento de transição”, declarou Charbell

A promotora Maristela Naurath, da 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Campos, lembrou a importância do uso de máscara neste período de festividades pelos jogos da Copa do Mundo. “A posição do Ministério Público é ratificar tudo que foi dito nessa reunião, especialmente com relação ao uso das máscaras. Extremamente necessário em locais fechados para que a gente não tenha nenhuma consequência dessa variante, principalmente internações graves e óbitos. Também fazer um apelo para que as pessoas se vacinem, que vacinem os filhos. As vacinas estão disponíveis e o município tem feito bastante divulgação. É extremamente importante que se vacinem para que não tenhamos aumento nesse período de jogos do Brasil, onde as pessoas querem confraternizar”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.