Usina nuclear Angra 1 é reconectada ao Sistema Interligado Nacional após um mês parada

A usina nuclear Angra 1, em Angra dos Reis (RJ), foi reconectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) nesta terça-feira (18). A operação foi retomada com três dias de antecedência em relação ao que havia sido acordado com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

A usina está em processo de elevação de potência e deve atingir 100% na sexta-feira (21). As informações são da Eletronuclear, subsidiária da estatal Eletrobras, responsável pela unidade.

“Estamos entrando no período seco, que vai até novembro. Isso significa que a tendência é contarmos ainda menos com as hidrelétricas no futuro próximo. Nesse contexto, a geração de Angra 1 será fundamental para garantir segurança de abastecimento ao SIN”, avaliou o presidente da Eletronuclear, Leonam dos Santos Guimarães.

A unidade foi desligada em 17 de abril para a troca de um terço do combustível. Também foram realizadas atividades de inspeção e manutenção periódicas, além de modificações de projeto, que precisam ser feitas com a usina desligada.

As paradas para reabastecimento com combustível nuclear ocorrem aproximadamente a cada 14 meses e são programadas com antecedência de pelo menos um ano, segundo a empresa.

“Todas as atividades planejadas foram executadas, e todos os testes de proteção e operabilidade dos equipamentos de segurança foram concluídos com sucesso”, explicou o superintendente de Angra 1, Abelardo Vieira.

Angra 1 foi religada nesta terça-feira após um mês parada — Foto: Divulgação/Eletrobras Eletronuclear

600 profissionais envolvidos

Os trabalhos envolveram cerca de 600 profissionais, incluindo 30 estrangeiros, além de equipes da Eletronuclear.

Quase 3 mil tarefas foram executadas durante o período. Entre as principais, estão a revisão de vários transformadores, a substituição do rotor da excitatriz do gerador elétrico principal, a substituição do motor e a revisão dos selos de uma bomba de refrigeração do reator, a inspeção visual de soldas do sistema primário e a inspeção visual remota das soldas externas do fundo do vaso do reator. Também foram realizadas inspeções visando a extensão da vida útil de Angra 1.

Desafio maior na pandemia

A empresa disse que durante as atividades foram tomadas medidas de prevenção à Covid-19, como medidas de distanciamento social, treinamento dos funcionários sobre as formas de contágio e divulgação interna de boas práticas através de uma cartilha. Os profissionais também fizeram refeições em horários escalonados.

“As medidas de proteção contra a covid-19 foram implementadas e reiteradas no dia a dia, o que exigiu um enorme esforço de reflexão e de tomada de ações diárias para torná-las robustas. Foi uma parada atípica, mas executada de forma brilhante, devido à grande competência do nosso corpo técnico e gerencial. Agradeço a todos que participaram dessa empreitada”, completou o superintendente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: