Uruguai usará vacinas sobressalentes para “blindar” fronteira com o Brasil

O ministro da Saúde Pública do Uruguai, Daniel Salinas, anunciou nessa 3ª feira (9.mar.2021) que o país vai enviar vacinas contra a covid-19 para cidades que fazem fronteira com o Brasil. O objetivo é “blindar” o país contra a variante brasileira do coronavírus.

Em publicação feita em seu perfil no Twitter, Salinas explicou que as doses enviadas serão da CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac.

Ontem [2ª feira (8.mar)], ultrapassamos as primeiras 100 mil pessoas já vacinadas contra a covid”, escreveu Salinas. “Esgotado o cronograma, o restante das vacinas do primeiro lote da Sinovac será enviado para cidades da fronteira seca com o Brasil.

O Uruguai recebeu em 25 de fevereiro 192 mil doses da CoronaVac. O prazo para agendar a vacinação terminou na tarde dessa 3ª feira (9.mar), mas o governo uruguaio ainda não divulgou quantas pessoas se inscreveram. Portanto, ainda não é possível determinar a quantidade de doses sobressalentes.

Ao ser vacinado na 2ª feira (8.mar), Salinas disse à imprensa presente no local que o Brasil enfrenta “um problema muito grave” , já que a variante detectada em Manaus está em mutação. Esse fato, segundo o ministro, representa “um novo desafio” para o Uruguai.

Estamos ‘ameaçados’, entre aspas, pela situação epidemiológica brasileira. A rapidez com a qual nos vacinamos vai ser fundamental para que o vírus deixe de sofrer mutações no nosso país. Quando o vírus está circulando, o vírus sofre mutação”, falou.

O 1º lote da CoronaVac foi destinado a policiais, militares, bombeiros, professores e trabalhadores do INAU (Instituto da Criança e do Adolescente). Ainda, pacientes de diálise crônica ou em lista de espera por transplantes.

O Uruguai recebe nesta semana as primeiras doses da vacina da Pfizer/BioNTech, que serão usadas na vacinação de profissionais da saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: