Uruguai registra caso de infecção por fungos em recuperado da covid

O Uruguai registrou um caso da infecção fúngica mucormicose em um paciente curado da covid-19. O paciente é um homem de 50 anos que tem diabetes, segundo uma reportagem do jornal El País publicada nessa 4ª feira (26.mai.2021). Ele sentiu os primeiros sintomas da infecção 10 dias depois que teve o teste positivo para a covid-19.

A mucormicose, também chamada de “fungo negro“, causa o escurecimento da pele, principalmente na área do nariz. Outros sintomas que acompanham a mudança de coloração são: visão turva ou dupla, dor na região do peito, dificuldade para respirar e tosse com sangue.

A infecção associada à covid-19 foi relatada na Índia no início deste mês. Em 20 de maio, o governo indiano enviou um alerta a todo o país de que a infecção fúngica é uma “doença notificável”. O país também alertou que pacientes tratados com esteroides ou que têm a diabetes descontrolada correm maior risco de desenvolver a doença.

O paciente no Uruguai se encaixa no grupo de risco para a infecção fúngica. Mas, segundo Henry Albornoza, infectologista que atende o paciente ouvido pelo El País, não é possível saber se ele é realmente o 1º paciente do Uruguai a apresentar o quadro. A mucormicose não é uma infecção que ocorre apenas com pacientes de covid-19.

Um segundo tipo de infecção fúngica também foi detectado em pacientes de covid-19 na Índia. A aspergilose invasiva – chamada de “fungo branco” – também afeta pacientes com diagnóstico de diabetes, pessoas imunocomprometidas, que têm algum tipo de câncer ou que passaram por um transplante de órgão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: