UPA, em Rio Bonito, completa 10 anos servindo à toda região

No próximo mês, mais precisamente no dia 24 de setembro, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Rio Bonito completa 10 anos. Neste período, o local passou por bons momentos quando recebeu logo nos primeiros dois anos de funcionamento, prêmios estaduais por se destacar no bom atendimento, e outros nem tão bons assim. Mas nada que uma grande reforma estrutural e uma equipe comprometida não devolva à unidade para onde ela deve estar, à serviço do povo. A UPA de Rio Bonito atende pacientes de toda região, pacientes de municípios distantes, e até de fora do Estado por estar localizada às margens da BR-101. A unidade é de nível 3, o máximo na escala de UPA’s; e já no primeiro ano de funcionamento, fazia uma média de 300 atendimentos diários.

Segundo informações da unidade, logo no início da pandemia, o número de atendimentos caiu pois as pessoas evitaram ir a unidade com medo de serem infectadas. Desde julho, a demanda covid da unidade tem sido absorvida pelo Centro de Triagem Covid. Silva Jardim, Itaboraí, Tanguá e muitas outras cidades tem seus munícipes atendidos pela UPA, e para isso, recebe verba dos governos estaduais e federais, além de municipais. A UPA possui uma sala amarela com 10 leitos, uma sala vermelha com quatro leitos, pediatria, consultórios médicos, sala de medicação, isolamento, acolhimento, comissão de óbito, CCIH (comissão de controle de infecção hospitalar, e a parte superior, onde funciona a área administrativa, com os recursos humanos, sistemas, protocolo, alojamento, refeitório, copa e outros setores.

Para o chefe da enfermagem da UPA, Édyo Santanna, a cidade é privilegiada por ter unidades de saúde de grande porte. “Temos o privilégio de termos no município um hospital de retaguarda de grande porte, que é o Darcy Vargas, e ter uma unidade de emergência. Tanto Tanguá quanto Silva Jardim, não têm uma UPA, tem um pronto atendimento, mas não tem um hospital”.

Reforma

Em 2019, a UPA passou por uma grande reforma. Setores como consultórios, sala de raio-x, na sala amarela, sala de medicação, sala de curativos e sutura, farmácia e nos corredores, ganharam nova estrutura. Foi feito reforço na estrutura de ferro e troca de piso em onze consultórios, na sala de sutura e na sala de procedimentos.

Édyo lembra como estava a UPA antes da reforma e conta um pouco sobre as dificuldades que tiveram que enfrentar por causa disso. “Quando reassumimos a gestão em 2017, a UPA estava em uma situação de parte física estrutural muito comprometida, o chão estava afundando, salas desativadas, parte elétrica e a parte de ares-condicionados também comprometidos, ou seja, assumimos a gestão com uma UPA precisando de reformas, e de imediato tivemos que fechar alguns setores, então ficamos um tempo atendendo uma demanda maior do que poderíamos atender. Foi difícil, mas conseguimos”, lembra o profissional.

Dia a dia

Outra profissional que também lembra com carinho os quase 10 anos que trabalhou na UPA, é a técnica de enfermagem, Claudia Márcia Vitorino. Ela conta que assim que para a unidade ser inaugurada, os profissionais passaram por um treinamento de duas semanas com uma equipe especializada. Claudia conta que depois de tantos anos, os momentos que ainda lhe comovem, são aqueles em que o paciente volta e agradece pelo atendimento que recebeu e ela se sente fazendo um pouco parte da vida da pessoa. “Tivemos muitas crianças, muitos pacientes recuperados, quando a UPA foi implantada, melhorou muito para o município. Mas me recordo o caso de uma criança que foi acidentada próximo a Silva Jardim. Ela veio e foi dado os primeiros socorros aqui na UPA. Daqui ela foi transferida de helicóptero. A criança tinha cerca de 6 meses de vida. Um tempo depois, o pai veio aqui agradecer a gente pelo atendimento e dizer que ela conseguiu sobreviver”, lembra Márcia.

Para o coordenador geral da UPA, Sérgio Brazil, o segredo de administrar uma unidade de saúde com tantos funcionários, é formar uma boa equipe. “Para coordenar, você precisa de pessoas ao seu lado que tenham também o mesmo objetivo, que queiram somar. E eu tenho essas pessoas, pessoas que estão aqui desde a inauguração da UPA. Dificuldades são encontradas no dia a dia, mas vamos aprendendo com elas. Uma das alegrias é ver que pegamos uma unidade com buracos, e até chovendo dentro, e hoje vemos uma UPA, limpa e com funcionários trabalhando satisfatoriamente”, analisa Sérgio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito