Unidos de Padre Miguel se torna patrimônio imaterial cultural do Rio

A Unidos de Padre Miguel se tornou patrimônio cultural imaterial do estado do Rio. O decreto foi sancionado pelo governador Cláudio Castro, e publicado no Diário Oficial da última terça-feira (28).

“Fica considerado como Patrimônio Imaterial o Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Padre Miguel, com a finalidade de preservar a cultura do samba, da música e da história, bem como a divulgação do local para ensaios e visitação turística de uma das maiores festas populares do país”, diz um trecho do decreto, de autoria do deputado estadual Coronel Jairo (SDD).

Fundada em 12 de novembro de 1957, a escola de Padre Miguel é famosa por seus enredos afros. A UPM, como é mais conhecida pelos torcedores, já contou na Marquês de Sapucaí a história de Iemanjá, Olokum, Xangô, Zumbi dos Palmares, Tia Ciata, São Jorge e Ogum, além da história da capoeira.

Em 2017 levou para a Sapucaí o enredo “Ossain”, conquistando diversos prêmios, entre eles, o o Troféu Nota 10 do Jornal Meia Hora, pela melhor Comissão de Frente. Naquele ano, a escola ficou em quarto lugar.

Em 2022, a escola brilhou com o enredo “Iroko – É Tempo de Xirê”, sobre a história do orixá do tempo. O enredo rendeu o quinto lugar para a agremiação na Série Ouro. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.