Um dia após voo espacial, Virgin Galactic leva tombo na bolsa

A Virgin Galactic Holdings, empresa do bilionário Richard Branson que planeja fazer voos comerciais para o espaço, propôs a venda de US$ 500 milhões em ações nesta segunda-feira (12).

A iniciativa acontece um dia depois de a companhia realizar o seu primeiro teste com tripulação completa em um voo para o espaço, que contou com a presença do seu fundador.

Antes de anunciar a venda das ações, os papéis da Virgin Galactic estavam em alta de 8% na pré-abertura do mercado, segundo a agência Reuters.

A animação do mercado com a missão bem-sucedida foi substituída com o plano de vender as ações. Depois do anúncio, houve uma queda acentuada de 12%, reduzindo em mais de US$ 1 bilhão a avaliação de mercado da empresa.

A primeira viagem

O teste de domingo contou com dois pilotos e quatro “especialistas da missão”, com Branson sendo um dos passageiros.

O breve voo suborbital terminou onde começou, em uma pista do Spaceport America – o primeiro espaçoporto projetado para fins comerciais, construído em 2011, também pelo empresário.

A Virgin Galactic não usou um foguete clássico para lançar sua nave. Foi utilizado um avião que decolou de uma pista e depois soltou, na altitude, a nave espacial que estava acoplada.

Ao chegar no espaço, a nave ligou seus motores e depois desceu planando. Todo o percurso durou menos de 20 minutos.

Eles se deslocaram a uma altitude de 15 quilômetros, onde a VSS Unity, unidade do avião espacial, foi liberada e impulsionada rumo ao extremo da atmosfera.

Tripulação da VSS Unity — Foto: Divulgação/Virgin Galactic

O ponto máximo do voo foi a 89 quilômetros, acima da altura estabelecida nos Estados Unidos para a fronteira espacial.

Nesse momento, a tripulação passou por alguns minutos com sensação de ausência de gravidade. O bilionário e outros três passageiros poderiam soltar o cinto de segurança e flutuar por alguns minutos.

Planos para viagens comerciais

Com a aventura, Branson conseguirá agora avaliar com este voo teste qual será a experiência de seus futuros clientes.

A Virgin Galactic pretende iniciar viagens para turistas em 2022. Até o momento, cerca de 600 pessoas compraram passagens que variam de US$ 200 mil a US$ 250 mil.

O bilionário também fez publicou após o voo. “Sonhei com este momento desde criança, mas ir ao espaço é ainda mais mágico do que eu poderia imaginar”, afirmou. “É impossível descrever como você se sente ao olhar para a Terra lá embaixo, é apenas uma beleza indescritível.”

A missão da Virgin Galactic foi batizada de Unity 22, por conta do 22º teste de voo da aeronave. Apesar de ser o primeiro com todos os espaços ocupados, o voo foi o quarto da empresa a contar com tripulação.

Corrida espacial entre bilionários

O magnata britânico saiu à frente de Jeff Bezos, fundador da Amazon, e se torna o primeiro empresário a voar em uma espaçonave desenvolvida por sua própria empresa.

Bezos planeja realizar seu voo espacial em 20 de julho em uma nave de sua outra companhia, a Blue Origin. A data marca o aniversário de 52 anos da chegada do primeiro homem na Lua.

Em entrevista à imprensa, após o pouso, Branson disse que não se trata de uma corrida espacial, “mas estamos muito satisfeitos que tudo tenha corrido tão fantasticamente bem. Desejamos a Jeff o melhor absoluto e para as pessoas que estão subindo com ele durante o vôo”.

Outros bilionários já viajaram ao espaço, mas foram levados com o foguete da agência espacial russa. É o caso dos empresários Charles Simonyi e Guy Laliberté, que passaram alguns dias a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) em 2007 e 2009, respectivamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: