Trump é suspenso do Facebook até janeiro de 2023

O Facebook anunciou nesta sexta-feira que o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ficará suspenso de suas redes sociais por pelo menos dois anos, até 7 de janeiro de 2023. Banido após incitar seus apoiadores a invadirem o Capitólio, no dia 6 de janeiro, Trump terá seu retorno condicionado à redução do risco à segurança pública, anunciou a plataforma.

Simultaneamente, o site anunciou que não vai mais dar um sinal verde automático para postagens de políticos caso seu conteúdo vá contra as regras da plataforma, revertendo parcialmente uma política que há anos é alvo de críticas maciças, que se acenturam durante o governo Trump. A mudança acende o alerta para outros líderes mundiais cujos comportamentos virtuais também são com frequênciaalvo de escrutínio, como o presidente Jair Bolsonaro.

Os anúncios são uma resposta à decisão do Conselho de Supervisão Independente da plataforma que, em 5 de maio, decidiu que o Facebook agiu corretamente ao suspender o então presidente diante do risco à segurança pública representado pela violência no Capitólio, que deixou cinco mortos. O grupo, no entanto, afirmou que o prazo indefinido para o veto era “inadequado”, já que não estava previsto nas regras da empresa.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fotografado durante uma mesa redonda com mulheres donas de pequenas empresas na Casa Branca, em Washington, em março de 2017 Foto: JIM WATSON / AFP - 27/03/2017
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fotografado durante uma mesa redonda com mulheres donas de pequenas empresas na Casa Branca, em Washington, em março de 2017 Foto: JIM WATSON / AFP – 27/03/2017
O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, chega para a cerimônia de posse em frente ao Capitólio, em Washington, no dia 20 de janeiro de 2017 Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP - 20/01/2017
O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, chega para a cerimônia de posse em frente ao Capitólio, em Washington, no dia 20 de janeiro de 2017 Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP – 20/01/2017
Trump faz seu juramento ao tomar posse como presidente dos EUA Foto: MARK RALSTON / AFP - 20/01/2017
Trump faz seu juramento ao tomar posse como presidente dos EUA Foto: MARK RALSTON / AFP – 20/01/2017
Da esquerda para a direita, a primeira-dama Melania Trump, o presidente Donald Trump, o ex-presidente Barack Obama e a ex-primeira-dama Michelle Obama após a cerimônia transferência de cargo em Washington Foto: JIM WATSON / AFP - 20/01/2017
Da esquerda para a direita, a primeira-dama Melania Trump, o presidente Donald Trump, o ex-presidente Barack Obama e a ex-primeira-dama Michelle Obama após a cerimônia transferência de cargo em Washington Foto: JIM WATSON / AFP – 20/01/2017
Kellyanne Conway, conselheira do presidente Donald Trump, tira uma foto enquanto o ele e líderes de universidades e faculdades historicamente negras conversam no Salão Oval da Casa Branca, em fevereiro de 2017 Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP - 27/02/2017
Kellyanne Conway, conselheira do presidente Donald Trump, tira uma foto enquanto o ele e líderes de universidades e faculdades historicamente negras conversam no Salão Oval da Casa Branca, em fevereiro de 2017 Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP – 27/02/2017

PULARPUBLICIDADE

Donald Trump visita o Muro das Lamentações, local mais sagrado onde os judeus podem orar, na Cidade Velha de Jerusalém, em maio de 2017 Foto: MANDEL NGAN / AFP - 22/05/2017
Donald Trump visita o Muro das Lamentações, local mais sagrado onde os judeus podem orar, na Cidade Velha de Jerusalém, em maio de 2017 Foto: MANDEL NGAN / AFP – 22/05/2017
Trump, joga um rolo de papel toalha ao visitar a Capela da Cavalaria, em Guaynabo, Porto Rico, em outubro de 2017. Quase duas semanas depois que o furacão Maria atingiu o território dos Estados Unidos, muitas das ilhas continuavam sem comida e sem acesso para energia ou água potável Foto: MANDEL NGAN / AFP - 03/10/2017
Trump, joga um rolo de papel toalha ao visitar a Capela da Cavalaria, em Guaynabo, Porto Rico, em outubro de 2017. Quase duas semanas depois que o furacão Maria atingiu o território dos Estados Unidos, muitas das ilhas continuavam sem comida e sem acesso para energia ou água potável Foto: MANDEL NGAN / AFP – 03/10/2017
O presidente Donald Trump, a primeira-dama, Melania Trump, o presidente da China, Xi Jinping, e sua esposa, Peng Liyuan, posam na Cidade Proibida, em Pequim, em novembro de 2017. Trump chegou à capital chinesa para a etapa crítica de sua turnê pela Ásia para criar uma frente global intransigente contra as ambições de armas nucleares da "ditadura cruel" na Coreia do Norte Foto: JIM WATSON / AFP - 08/11/2017
O presidente Donald Trump, a primeira-dama, Melania Trump, o presidente da China, Xi Jinping, e sua esposa, Peng Liyuan, posam na Cidade Proibida, em Pequim, em novembro de 2017. Trump chegou à capital chinesa para a etapa crítica de sua turnê pela Ásia para criar uma frente global intransigente contra as ambições de armas nucleares da “ditadura cruel” na Coreia do Norte Foto: JIM WATSON / AFP – 08/11/2017
Estudantes da Marjory Stoneman Douglas High School reunidos durante o ato March for Our Lives Rally (Marcha pelas nossas vidas), em Washington, em março de 2018. Motivados pelo massacre emocorrido no colégio da Flórida, centenas de milhares de americanos tomaram as ruas de cidades dos EUA no maior protesto contra o controle de armas Foto: JIM WATSON / AFP - 24/03/2018
Estudantes da Marjory Stoneman Douglas High School reunidos durante o ato March for Our Lives Rally (Marcha pelas nossas vidas), em Washington, em março de 2018. Motivados pelo massacre emocorrido no colégio da Flórida, centenas de milhares de americanos tomaram as ruas de cidades dos EUA no maior protesto contra o controle de armas Foto: JIM WATSON / AFP – 24/03/2018
Trump acena ao se encontrar com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un no início de sua cúpula histórica EUA-Coreia do Norte, no Capella Hotel, na ilha de Sentosa, em Cingapura, em junho de 2018. Trump e Kim Jong-Un se tornaram os primeiros líderes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte a se reunir, apertar as mãos e negociar para encerrar um impasse nuclear de décadas Foto: SAUL LOEB / AFP - 12/06/2018
Trump acena ao se encontrar com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un no início de sua cúpula histórica EUA-Coreia do Norte, no Capella Hotel, na ilha de Sentosa, em Cingapura, em junho de 2018. Trump e Kim Jong-Un se tornaram os primeiros líderes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte a se reunir, apertar as mãos e negociar para encerrar um impasse nuclear de décadas Foto: SAUL LOEB / AFP – 12/06/2018

PULARPUBLICIDADE

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e Trump participam de uma reunião em Helsinque, em julho de 2018 Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP - 16/07/2018
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e Trump participam de uma reunião em Helsinque, em julho de 2018 Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP – 16/07/2018
Donald Trump visita a usina siderúrgica Granite City Works, da US Steel, em Granite City, Illinois Foto: SAUL LOEB / AFP - 26/07/2018
Donald Trump visita a usina siderúrgica Granite City Works, da US Steel, em Granite City, Illinois Foto: SAUL LOEB / AFP – 26/07/2018
Mulheres protestam vestidas como personagens do romance que se tornou série de TV "The Handmaid's Tale" ("O Conto da Aia") enquanto o indicado de Trump à Suprema Corte, Brett Kavanaugh, começa o primeiro dia de sua audiência de confirmação diante do Senado dos EUA, no Capitólio, em Washington, em setembro de 2018 Foto: JIM WATSON / AFP - 04/09/2018
Mulheres protestam vestidas como personagens do romance que se tornou série de TV “The Handmaid’s Tale” (“O Conto da Aia”) enquanto o indicado de Trump à Suprema Corte, Brett Kavanaugh, começa o primeiro dia de sua audiência de confirmação diante do Senado dos EUA, no Capitólio, em Washington, em setembro de 2018 Foto: JIM WATSON / AFP – 04/09/2018
José, 27 anos, com seu filho José Daniel, 6, é revistado pelo agente da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA, Frank Pino, em maio de 2019, em El Paso, Texas. Pai e filho passaram um mês viajando pela Guatemala através do México. À época, cerca de 1.100 migrantes da América Central e de outros países tentavam cruzar para o setor de fronteira de El Paso a cada dia, refletindo uma das maiores crise de imigração da história Foto: PAUL RATJE / AFP - 16/05/2019
José, 27 anos, com seu filho José Daniel, 6, é revistado pelo agente da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA, Frank Pino, em maio de 2019, em El Paso, Texas. Pai e filho passaram um mês viajando pela Guatemala através do México. À época, cerca de 1.100 migrantes da América Central e de outros países tentavam cruzar para o setor de fronteira de El Paso a cada dia, refletindo uma das maiores crise de imigração da história Foto: PAUL RATJE / AFP – 16/05/2019
Um grupo de imigrantes centro-americanos escalam a cerca da fronteira entre o México e os Estados Unidos, perto do cruzamento da fronteira de El Chaparral, em Tijuana, estado de Baixa Califórnia, México, em novembro de 2018 Foto: PEDRO PARDO / AFP - 25/11/2018
Um grupo de imigrantes centro-americanos escalam a cerca da fronteira entre o México e os Estados Unidos, perto do cruzamento da fronteira de El Chaparral, em Tijuana, estado de Baixa Califórnia, México, em novembro de 2018 Foto: PEDRO PARDO / AFP – 25/11/2018

PULARPUBLICIDADE

Donald Trump caminha para o lado norte da Linha de Demarcação Militar que divide as Coréias do Norte e do Sul acompanhado do líder norte-coreano, Kim Jong-un. Trump foi o primeiro presidente americano a entrar na Coreia do Norte, em junho do ano passado Foto: KEVIN LAMARQUE / Reuters - 30/06/2019
Donald Trump caminha para o lado norte da Linha de Demarcação Militar que divide as Coréias do Norte e do Sul acompanhado do líder norte-coreano, Kim Jong-un. Trump foi o primeiro presidente americano a entrar na Coreia do Norte, em junho do ano passado Foto: KEVIN LAMARQUE / Reuters – 30/06/2019
O presidente dos EUA, Donald Trump, e o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, durante reunião, em Nova York, em setembro de 2019, à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas Foto: SAUL LOEB / AFP - 25/09/2019
O presidente dos EUA, Donald Trump, e o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, durante reunião, em Nova York, em setembro de 2019, à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas Foto: SAUL LOEB / AFP – 25/09/2019
Donald Trump chega para um comício "Keep America Great" no Sudduth Coliseum, no Lake Charles Civic Center, em Lake Charles, Louisiana, em outubro de 2019 Foto: SAUL LOEB / AFP - 11/10/2019
Donald Trump chega para um comício “Keep America Great” no Sudduth Coliseum, no Lake Charles Civic Center, em Lake Charles, Louisiana, em outubro de 2019 Foto: SAUL LOEB / AFP – 11/10/2019
O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, aplaude enquanto a presidente da Câmara e lider dos democratas, Nancy Pelosi, rasga uma cópia do discurso de Trump após a fala do presidente americano durante o tradicional discurso anual no Congresso, em Washington, em fevereiro de 2020 Foto: MANDEL NGAN / AFP - 04/02/2020
O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, aplaude enquanto a presidente da Câmara e lider dos democratas, Nancy Pelosi, rasga uma cópia do discurso de Trump após a fala do presidente americano durante o tradicional discurso anual no Congresso, em Washington, em fevereiro de 2020 Foto: MANDEL NGAN / AFP – 04/02/2020
Trump mostra um jornal que exibe a manchete "Absolvido" quando chega para falar no 68º Café da Manhã de Oração Nacional, em fevereiro de 2020. O presidente disse que sofreu uma "terrível provação" durante seu impeachment Foto: NICHOLAS KAMM / AFP - 06/02/2020
Trump mostra um jornal que exibe a manchete “Absolvido” quando chega para falar no 68º Café da Manhã de Oração Nacional, em fevereiro de 2020. O presidente disse que sofreu uma “terrível provação” durante seu impeachment Foto: NICHOLAS KAMM / AFP – 06/02/2020

PULARPUBLICIDADE

Donald Trump fala após visitar os danos do tornado em Cookeville, Tennessee, em março de 2020. Pelo menos 24 morreram após os terríveis tornados que atingiram o estado Foto: JIM WATSON / AFP - 06/03/2020
Donald Trump fala após visitar os danos do tornado em Cookeville, Tennessee, em março de 2020. Pelo menos 24 morreram após os terríveis tornados que atingiram o estado Foto: JIM WATSON / AFP – 06/03/2020
Detalhe em fotografia mostra expressão “coronavírus” alterada para “vírus chinês” em notas para discurso para força-tarefa na Casa Branca; termo usado por Trump, que adotou discurso negacionista quanto à gravidade da pandemia Foto: Jabin Botsford / Agência O Globo - 19/03/2020
Detalhe em fotografia mostra expressão “coronavírus” alterada para “vírus chinês” em notas para discurso para força-tarefa na Casa Branca; termo usado por Trump, que adotou discurso negacionista quanto à gravidade da pandemia Foto: Jabin Botsford / Agência O Globo – 19/03/2020
Corpos de vítimas da Covid são transferidos para um caminhão de refrigeração que serve como necrotério temporário no Hospital Wyckoff, no bairro do Brooklyn, Nova York, em abril de 2020 Foto: BRYAN R. SMITH / AFP - 06/04/2020
Corpos de vítimas da Covid são transferidos para um caminhão de refrigeração que serve como necrotério temporário no Hospital Wyckoff, no bairro do Brooklyn, Nova York, em abril de 2020 Foto: BRYAN R. SMITH / AFP – 06/04/2020
Alisha Narvaez, gerente de uma funerária, transporta um corpo no bairro de Harlem, na cidade de Nova York, em abril de 2020. Empresas do setor ficaram sobrecarregadas durante os meses de pico de mortes pelo coronavírus em Nova York Foto: JOHANNES EISELE / AFP - 24/04/2020
Alisha Narvaez, gerente de uma funerária, transporta um corpo no bairro de Harlem, na cidade de Nova York, em abril de 2020. Empresas do setor ficaram sobrecarregadas durante os meses de pico de mortes pelo coronavírus em Nova York Foto: JOHANNES EISELE / AFP – 24/04/2020
Manifestantes tentam entrar na Câmara de Michigan, em Lansing, após protesto contra o fechamento do comércio imposto pela governadora de Michigan, Gretchen Whitmer, para conter o avanço da Covid-19, em abril de 2020 Foto: JEFF KOWALSKY / AFP - 30/04/2020
Manifestantes tentam entrar na Câmara de Michigan, em Lansing, após protesto contra o fechamento do comércio imposto pela governadora de Michigan, Gretchen Whitmer, para conter o avanço da Covid-19, em abril de 2020 Foto: JEFF KOWALSKY / AFP – 30/04/2020

PULARPUBLICIDADE

Manifestantes protestam contra a morte de George Floyd fora da 3ª Delegacia de Polícia, em 27 de maio, em Minneapolis, Minnesota. A família de Floyd, morto pela polícia de Minneapolis enquanto estava algemado sob custódia, exigiu que os policiais fossem acusados de assassinato Foto: KEREM YUCEL / AFP - 27/05/2020
Manifestantes protestam contra a morte de George Floyd fora da 3ª Delegacia de Polícia, em 27 de maio, em Minneapolis, Minnesota. A família de Floyd, morto pela polícia de Minneapolis enquanto estava algemado sob custódia, exigiu que os policiais fossem acusados de assassinato Foto: KEREM YUCEL / AFP – 27/05/2020
Um manifestante reage em frente a um prédio em chamas durante uma manifestação em Minneapolis, Minnesota, em 29 de maio. Protestos antirracistas eclodiram pelos EUA após a morte de George Floyd. Movimento negro e contra a violência policial pautou a disputa eleitoral Foto: CHANDAN KHANNA / AFP - 29/05/2020
Um manifestante reage em frente a um prédio em chamas durante uma manifestação em Minneapolis, Minnesota, em 29 de maio. Protestos antirracistas eclodiram pelos EUA após a morte de George Floyd. Movimento negro e contra a violência policial pautou a disputa eleitoral Foto: CHANDAN KHANNA / AFP – 29/05/2020
Policiais se ajoelham durante um protesto em Coral Gables, Flórida, em 30 de maio, em resposta à morte de George Floyd. Confrontos estouraram nas principais cidades, com manifestantes furiosos que ignoravam as advertências de Trump de que seu governo impediria protestos violentos sobre a brutalidade policial Foto: EVA MARIE UZCATEGUI / AFP - 30/05/2020
Policiais se ajoelham durante um protesto em Coral Gables, Flórida, em 30 de maio, em resposta à morte de George Floyd. Confrontos estouraram nas principais cidades, com manifestantes furiosos que ignoravam as advertências de Trump de que seu governo impediria protestos violentos sobre a brutalidade policial Foto: EVA MARIE UZCATEGUI / AFP – 30/05/2020
As pessoas levantam as mãos e gritam slogans enquanto protestam no memorial improvisado em homenagem a George Floyd, em 2 de junho Foto: CHANDAN KHANNA / AFP - 02/06/2020
As pessoas levantam as mãos e gritam slogans enquanto protestam no memorial improvisado em homenagem a George Floyd, em 2 de junho Foto: CHANDAN KHANNA / AFP – 02/06/2020
Trump participa de cerimônia comemorativa da 200ª milha do muro de fronteira com o México, em San Luis, Arizona Foto: SAUL LOEB / AFP - 23/06/2020
Trump participa de cerimônia comemorativa da 200ª milha do muro de fronteira com o México, em San Luis, Arizona Foto: SAUL LOEB / AFP – 23/06/2020
Trump abre as comemorações pelo Dia da Independência dos EUA no Memorial Nacional do Monte Rushmore, em Keystone, Dakota do Sul, onde estão esculpidos os rostos de quatro de seus antecessores históricos: George Washington, Thomas Jefferson, Theodore Roosevelt e Abraham Lincoln Foto: SAUL LOEB / AFP - 03/07/2020
Trump abre as comemorações pelo Dia da Independência dos EUA no Memorial Nacional do Monte Rushmore, em Keystone, Dakota do Sul, onde estão esculpidos os rostos de quatro de seus antecessores históricos: George Washington, Thomas Jefferson, Theodore Roosevelt e Abraham Lincoln Foto: SAUL LOEB / AFP – 03/07/2020
Donald Trump, desembarca do Força Aérea Um enquanto um raio corta o céu durante uma tempestade na Base Conjunta de Andrews, em Maryland Foto: SAUL LOEB / AFP - 28/08/2020
Donald Trump, desembarca do Força Aérea Um enquanto um raio corta o céu durante uma tempestade na Base Conjunta de Andrews, em Maryland Foto: SAUL LOEB / AFP – 28/08/2020
A primeira-dama dos EUA, Melania Trump, sorri para Donald Trump na conclusão do último dia da Convenção Nacional Republicana, no gramado sul da Casa Branca Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP - 27/08/2020
A primeira-dama dos EUA, Melania Trump, sorri para Donald Trump na conclusão do último dia da Convenção Nacional Republicana, no gramado sul da Casa Branca Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP – 27/08/2020
Donald Trump chega para um comício de campanha no Aeroporto Internacional de Pittsburgh, em Moon Township, Pensilvânia Foto: MANDEL NGAN / AFP 22/09/2020
Donald Trump chega para um comício de campanha no Aeroporto Internacional de Pittsburgh, em Moon Township, Pensilvânia Foto: MANDEL NGAN / AFP 22/09/2020
Donald Trump durante comício de campanha no aeroporto Cecil, em Jacksonville, Flórida Foto: TOM BRENNER / REUTERS - 24/09/2020
Donald Trump durante comício de campanha no aeroporto Cecil, em Jacksonville, Flórida Foto: TOM BRENNER / REUTERS – 24/09/2020

PULARPUBLICIDADE

Trump acena para apoiadores, ao fazer um passeio de carro no entorno do hospital
onde está internado com Covid-19, em outubro de 2020 Foto: Alex Edelman / AFP - 04/10/2020
Trump acena para apoiadores, ao fazer um passeio de carro no entorno do hospital onde está internado com Covid-19, em outubro de 2020 Foto: Alex Edelman / AFP – 04/10/2020
Donald Trump tira a máscara ao chegar à Casa Branca depois de retornar do Walter Reed Medical Center, onde se submeteu a tratamento para Covid-19, em Washington Foto: NICHOLAS KAMM / AFP - 05/10/2020
Donald Trump tira a máscara ao chegar à Casa Branca depois de retornar do Walter Reed Medical Center, onde se submeteu a tratamento para Covid-19, em Washington Foto: NICHOLAS KAMM / AFP – 05/10/2020
Trump fala à imprensa no Aeroporto Internacional General Mitchell, em Milwaukee, Wisconsin Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP - 02/11/2020
Trump fala à imprensa no Aeroporto Internacional General Mitchell, em Milwaukee, Wisconsin Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP – 02/11/2020
Apoiador de Donald Trump entra em confronto com um manifestante na praça Black Lives Matter, em frente à Casa Branca, no dia da eleição, em Washington Foto: OLIVIER DOULIERY / AFP - 03/11/2020
Apoiador de Donald Trump entra em confronto com um manifestante na praça Black Lives Matter, em frente à Casa Branca, no dia da eleição, em Washington
O presidente dos EUA, Donald Trump, fala a apoiadores do The Ellipse, próximo à Casa Branca, em 6 de janeiro de 2021, em Washington. Sem reconhecer a derrota nas urnas, Trump discursou para milhares de apoiadores, inflamando uma multidão a marchar para o Congresso, onde se realizaria a sessão de certificação da vitória de Joe Biden Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP - 06/01/2021
O presidente dos EUA, Donald Trump, fala a apoiadores do The Ellipse, próximo à Casa Branca, em 6 de janeiro de 2021, em Washington. Sem reconhecer a derrota nas urnas, Trump discursou para milhares de apoiadores, inflamando uma multidão a marchar para o Congresso, onde se realizaria a sessão de certificação da vitória de Joe Biden
Multidão de apoiadores do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, invade o Capitólio, em Washington, em 6 de janeiro de 2021. Episódio, classificado como ato de insurreição e um atentado contra a democracia, foi condenado por aliados, opositores e líderes mundiais Foto: LEAH MILLIS / REUTERS - 06/01/2021
Multidão de apoiadores do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, invade o Capitólio, em Washington, em 6 de janeiro de 2021. Episódio, classificado como ato de insurreição e um atentado contra a democracia, foi condenado por aliados, opositores e líderes mundiais

Os 20 membros do conselho haviam dado seis meses, que se encerrariam em novembro, para que o Facebook anunciasse uma punição padrão para figuras públicas que descumpram as regras “durante tempos de distúrbios civis e violência contínua”. A rede social decidiu hoje que, a depender do nível de gravidade, a suspensão poderá variar inicialmente de um mês a dois anos. No caso de Trump, optou-se pela pena mais dura:

“Diante da gravidade das circunstâncias que levaram à suspensão, nos acreditamos que as ações de Trump constituíram uma violação severa das nossas regras, que merece a maior punição disponível segundo os nossos novos protocolos”, disse em uma publicação Nick Clegg, vice-presidente de Relações Públicas Globais do Facebook. “Vamos suspender suas contas por dois anos, efetivos a partir da data inicial de suspensão, 7 de janeiro deste ano.”

Quando os dois anos chegarem ao fim, disse Clegg, especialistas serão consultados para determinar se o risco público retrocedeu, com a avaliação de fatores externos, como risco de violência e distúrbios civis. Se for determinado que o perigo ainda é significativo, a suspensão será prorrogada.

Caso contrário, Trump — ou qualquer figura pública em situação similar — poderá retornar, mas sob uma série de restrições que serão endurecidas “progressiva e rapidamente” caso violações futuras sejam cometidas. Entre elas, a exclusão permanente de suas contas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: