Terremoto de 6,9 graus no México deixa dois mortos

Um terremoto de 6,9 graus de magnitude abalou o México na madrugada desta quinta-feira, 22, e provocou duas mortes, anunciaram as autoridades. As vítimas, um homem e uma mulher, morreram na Cidade do México. Este foi o tremor secundário mais forte do terremoto de 7,7 graus registrado na segunda-feira, 19, que deixou outros dois mortos e danificou mais de 3.000 imóveis, segundo o Serviço Sismológico Nacional.

Sobre as vítimas desta quinta-feira, a prefeitura informou que o homem sofreu um infarto durante o tremor e a mulher faleceu após cair nas escadas de sua residência e bater a cabeça, pouco depois da ativação do alerta sísmico.

O presidente Andrés Manuel López Obrador afirmou que o terremoto foi sentido na Cidade do México e nos estados de Michoacán, Colima, Jalisco e Guerrero, todos na costa do Pacífico. “Até o momento não há relatos de danos”, disse, em um vídeo gravado em seu gabinete, e anunciou que está contato com a prefeita da capital, Claudia Sheinbaum. 

O abalo sísmico, que pegou de surpresa os moradores, fez muitos saírem de suas camas e correrem para as ruas ao ouvirem o alerta. O epicentro foi localizado a 84 km de Coalcomán, no estado de Michoacán (oeste), onde aconteceu o evento principal. Inicialmente, o Serviço Sismológico calculou a magnitude do tremor desta quinta-feira em 6,5 graus.

O terremoto foi sentido com força em vários pontos da Cidade do México e sua área metropolitana, que fica a quase 400 km do epicentro e onde moram 22 milhões de pessoas. A prefeita da capital informou que helicópteros da prefeitura sobrevoaram a cidade e não relataram danos até o momento.

Foram registrados pelo país até então 1.229 tremores secundários do evento de segunda-feira. Com um som forte, o alarme viaja mais rápido que as ondas sísmicas e adverte sobre um grande movimento sísmico um minuto antes da ocorrência, em média, o que permite que os moradores abandonem suas casas ou procurem uma área segura.

Na segunda-feira, um terremoto intenso estremeceu o México menos de uma hora depois de uma simulação com a participação de milhões de pessoas, como acontece a cada 19 de setembro, quando o país recorda dois terremotos que aconteceram na mesma data em 1985 e em 2017.

Em 1985, um terremoto de 8,1 graus destruiu muitas áreas da capital. Mais de 10.000 pessoas morreram apenas na cidade. Outro abalo trágico de 7,1 graus aconteceu em 19 de setembro de 2017 e provocou 369 mortes.

Funcionários do Serviço Sismológico Nacional afirmaram que a ocorrência dos três terremotos na mesma data é produto de uma “coincidência”.

O México registra uma intensa atividade sísmica por estar localizado no Anel de Fogo do Pacífico, que une a América com a Ásia e onde ocorre a maioria dos terremotos do mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.