Teresópolis: Cultura lança documentários, filme e livros e inaugura busto produzidos com recursos da Lei Aldir Blanc

Nos dias 9, 15, 16 e 17 de julho, a Secretaria Municipal de Cultura lançou três livros, dois documentários e um filme e inaugurou o busto do compositor Aldir Blanc, todos produzidos com recursos da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc. Nesses dias, também foram entregues certificados a artistas que participaram das chamadas públicas 003, 004 e 005, realizadas em 2020 pelo município. Os eventos integraram a programação oficial dos 130 anos de Teresópolis e foram realizados com número limitado de convidados e seguindo todos os protocolos sanitários. Os quatro lançamentos e inauguração foram acompanhados pelo Vereador Paulinho Nogueira.

“Foram quatro dias de lançamentos de projetos produzidos com recursos recebidos pelo município por meio da Lei Aldir Blanc. Agradecemos ao Conselho Municipal de Políticas Culturais, que contribuiu para que o convênio fosse formalizado e os recursos chegassem para a cadeia produtiva da cultura, fiscalizando e dando transparência a todos os procedimentos. Nosso agradecimento também aos artistas que participaram das chamadas públicas, forma mais democrática de acesso aos recursos públicos, e à dedicação de toda a equipe da Cultura para a concretização de todas as etapas”, avaliou Cléo Jordão Rezende, secretária municipal de Cultura.

As produções

No dia 09/07 foram lançados os livros ‘Teresópolis, Minha Terra de Luz e de Amor’, de Andrea Viviana Taubman, e ‘Curso Básico de Sonorização – Aprenda a operar em poucas páginas’, de Ivan Bruno. Na quinta, 15/07, foi lançado o documentário audiovisual ‘Vidas de Brinquedo’, de Xando Pernambuco, e inaugurado o busto do artista Aldir Blanc, de autoria do escultor teresopolitano Vitor Machado Lopes.

Na sexta, 16/7, foi a vez do filme ‘O Cordel do Folclore’, de Jonathan Marques. Com uma hora de duração, o filme de média-metragem conta, em tom de comédia, a vida de um grupo de matutos do interior que acaba interagindo com personagens do folclore, entre eles Saci Pererê, Caipora e Boto Rosa. No elenco, grande parte dos atores da Companhia de Teatro Hocus Pocus.

“É uma grande aventura com os principais personagens do nosso folclore”, resumiu o roteirista, ator e produtor Jonathan Marques. “A Lei Aldir Blanc foi um divisor de águas, pois nos possibilitou voltar a produzir nesse período de pandemia. Agradeço todo o suporte da equipe da Secretaria Municipal de Cultura”, disse Jonathan. “A lei federal deu um gás à classe artística, uma das mais prejudicadas nesse período em que vivemos. Que venham outras leis de incentivo cultural, para que possamos trabalhar e executar nosso ofício”, acrescentou o diretor Adriano Ramires.

No sábado, 17/07, foram lançados o documentário ‘Retrato em Preto e Branco’, sobre a vida do artista Ney Matogrosso, de autoria de Frederico Augusto, e o livro ‘Ser Estranho, Uma História Nada Assustadora’, de Isabela Sultani e Frederico Augusto.

Os livros ‘Teresópolis, Minha Terra de Luz e de Amor’ e ‘Ser Estranho, Uma História Nada Assustadora’ serão distribuídos para turmas da Educação Infantil das escolas municipais, integrando um kit de atividades multidisciplinares.

O livro ‘Curso Básico de Sonorização’ é disponibilizado aos interessados na Secretaria Municipal de Cultura, no 3º piso da Prefeitura, de segunda a sexta, de 9h às 18h. Já os documentários ‘Vidas de Brinquedo’ e ‘Retrato em Preto e Branco’ e o média-metragem ‘O Cordel do Folclore’ podem ser conferidos na rede social oficial da Secretaria Municipal de Cultura.   

O busto do compositor Aldir Blanc permanece exposto na Galeria Soarte Artista Sami Mattar, no 2° piso da Prefeitura.

Lei Aldir Blanc em Teresópolis

A Lei 14.017/2020 foi criada pelo Governo Federal para auxiliar os profissionais e organizações do setor cultural, e amenizar as dificuldades impostas pela pandemia de Covid-19. O município recebeu R$ 1,231 milhão em recursos da Lei Aldir Blanc, que foram gerenciados pela Secretaria de Cultura, em parceria com o Conselho Municipal de Políticas Culturais. O trabalho em conjunto envolveu o lançamento de seis editais, contemplando instituições, coletivos e artistas individuais, através de subsídios, aquisição de projetos e prêmios. Mais de 300 profissionais foram diretamente beneficiados e estima-se que mais de 100 mil pessoas tenham tido acesso virtualmente às produções de Teresópolis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: