Taça das Favelas RJ: Corte Oito e Complexo da Penha são campeões

No masculino, Complexo da Penha vence por 2 a 1; no feminino, equipe de Duque de Caxias vence nos pênaltis por 4 a 3 o time Coreia, de Senador Camará

 

Nas penalidades do feminino, Isadora, Luisa, Thalia, Raissa Carvalho converteram para o Corte 8, enquanto Luana, Taciane, Vitoria converteram para a Coreia. O título da equipe de Caxias foi sacramentado por pênalti desperdiçado por Ketelen e defesa de Marcela em cobrança de Pamigol.

– Gratificante demais felicidade imensa. Deixei de fazer uma viagem por um clube para estar aqui e valeu a pena. Uma coisa muito importante trazer o título pro corte 8.

Um dos destaques da Penha, Dieguinho, de 16 anos, tomou conta do meio e liderou sua equipe para ganhar o título com um gol de pênalti.

– A gente tá há seis meses treinando direto. A ideia era chegar leve, o nosso forte e o meio e fizemos o que trabalhamos no treino.

O jogo feminino

 

A equipe da Coreia começou com mais intensidade, pressionando as adversárias em seu campo, mas não conseguiu criar oportunidades de gol. Aos poucos, o time do Corte Oito conseguiu equilibrar a partida. A primeira etapa terminou marcada mais pelo jogo duro, de marcação, muito estudado.

Na segunda etapa, a Coreia colocou em campo sua principal jogadora, a Pamigol, que ainda se recupera de uma contusão no joelho direito sofrida na Taça de 2022. A atacante mudou o ritmo da partida articulando a construção das jogadas ofensivas. A goleira Marcela Rocha, que tinha vida tranquila, precisou fazer duas defesas em chutes da Pamigol e Ketelen.

 

Thalia respondeu para o Corte Oito ao chegar na área com velocidade e bater de direita forte para o gol, mas a goleira 2K defendeu com segurança para manter o empate até o fim.

O jogo masculino

 

Entre as finais feminina e masculina, um temporal caiu sobre o estádio de Moça Bonita, que encharcou o gramado, mas não diminuiu o ímpeto dos meninos. O Complexo da Penha começou impondo um ritmo forte de troca de passes no ataque, envolvendo a defesa. Em uma dessas jogadas, o meia Geovani sofreu pênalti, que Dieguinho converte.

Taça das Favelas no Rio de Janeiro — Foto: Ronald Lincoln

Taça das Favelas no Rio de Janeiro — Foto: Ronald Lincoln

Na sequência, o Jacarezinho respondeu com Caio em bela jogada. O atacante saiu da ponta esquerda para o meio, deixando marcadores para trás e bateu forte no canto para empatar. Caio teve tempo de arriscar mais um chute de longe, mas que ficou nas mãos do goleiro Jonathan.

Jogadoras do Corte 8 comemoram com a torcida o título da Taça das Favelas 2023

Um dos destaques da Penha, Dieguinho, de 16 anos, tomou conta do meio e liderou sua equipe para ganhar o título com um gol de pênalti.

– A gente tá há seis meses treinando direto. A ideia era chegar leve, o nosso forte e o meio e fizemos o que trabalhamos no treino.

O jogo feminino

 

A equipe da Coreia começou com mais intensidade, pressionando as adversárias em seu campo, mas não conseguiu criar oportunidades de gol. Aos poucos, o time do Corte Oito conseguiu equilibrar a partida. A primeira etapa terminou marcada mais pelo jogo duro, de marcação, muito estudado.

Taça das Favelas no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução

Taça das Favelas no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução

Na segunda etapa, a Coreia colocou em campo sua principal jogadora, a Pamigol, que ainda se recupera de uma contusão no joelho direito sofrida na Taça de 2022. A atacante mudou o ritmo da partida articulando a construção das jogadas ofensivas. A goleira Marcela Rocha, que tinha vida tranquila, precisou fazer duas defesas em chutes da Pamigol e Ketelen.

Thalia respondeu para o Corte Oito ao chegar na área com velocidade e bater de direita forte para o gol, mas a goleira 2K defendeu com segurança para manter o empate até o fim.

O jogo masculino

 

Entre as finais feminina e masculina, um temporal caiu sobre o estádio de Moça Bonita, que encharcou o gramado, mas não diminuiu o ímpeto dos meninos. O Complexo da Penha começou impondo um ritmo forte de troca de passes no ataque, envolvendo a defesa. Em uma dessas jogadas, o meia Geovani sofreu pênalti, que Dieguinho converte.

Taça das Favelas no Rio de Janeiro — Foto: Ronald Lincoln

Na sequência, o Jacarezinho respondeu com Caio em bela jogada. O atacante saiu da ponta esquerda para o meio, deixando marcadores para trás e bateu forte no canto para empatar. Caio teve tempo de arriscar mais um chute de longe, mas que ficou nas mãos do goleiro Jonathan.

Jacarezinho 1 x 2 Complexo da Penha - Gols - Final masculina - Taça das Favelas Rio de Janeiro 2023

Jacarezinho 1 x 2 Complexo da Penha – Gols – Final masculina – Taça das Favelas Rio de Janeiro 2023

A chuva partiu com o intervalo. Depois de um reinício equiparado a Penha voltou à liderança do jogo com Jonathan Catapulta, que aproveitou uma bobeira da defesa para recuperar a bola e encobrir o goleiro do Jacarezinho. A equipe da Penha conseguiu administrar o jogo e segurar a pressão do Jacarezinho até o fim para sair com seu primeiro título da Taça das Favelas Jacarezinho  1 x 2 Complexo da Penha – Gols – Final masculina – Taça das Favelas Rio de Janeiro 2023

Jacarezinho 1 x 2 Complexo da Penha – Gols – Final masculina – Taça das Favelas Rio de Janeiro 2023

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *