Sport vence clássico e obriga Vasco a derrotar o Londrina

A 32ª rodada da Série B começou com um resultado bom e outro ruim para o Vasco da Gama, o quarto colocado da competição com 48 pontos. A goleada do Cruzeiro 4×1 Ponte Preta foi favorável, segurou o time de Campinas com seus 43 pontos após vencer o Londrina no Estádio do Café por 2×0 e na Ilha do Retiro, em Recife, Pernambuco, o Sport de virada fez 2×1 no Náutico e chegou aos 46 pontos, ultrapassando a equipe paranaense e, agora, ocupando a quinta colocação. O time de Jorginho é obrigado a vencer o Tubarão em São Januário nesta quinta feira (29/09), às 2130h para chegar aos 51 pontos e abrir 5 pontos da equipe pernambucana.

Calculadora de lado, com o escudo do Vasco, acionada a cada partida, ficará esquecida até o apito final do árbitro Wilton Sampaio Pereira, FIFA de Goiás e escalado para apitar na Copa do Mundo do Catar, no jogo em casa com a força da torcida vascaína. Jorginho sabe que somente a vitória dará tranquilidade ao seu trabalho até a próxima rodada diante do Operário em Ponta Grossa no Paraná, brigando na zona de rebaixamento.

A boa noticia da quarta feira foi a absolvição do meia Nenê, expulso na partida com a Chapecoense em São Januário e que trazia uma certa preocupação. Os auditores da 3ª Comissão Disciplinar entenderam que as palavras proferidas pelo craque ao árbitro foi um desabafo após deixar de marcar um pênalti legítimo para sua equipe. Belo trabalho do advogado, Dr. Marcelo Jucá, ao colocar o atleta em depoimento online e respondendo todas as perguntas feitas pelos julgadores.

No campo e bola, Jorginho, preferiu fechar o treinamento no CT Moacyr Barbosa, na Cidade de Deus em Jacarepaguá para a imprensa e tentar confundir o técnico, Adilson Batista, do Londrina e devendo fazer mudança. Resta saber se será apenas uma ou mais trocas no time que vem de derrota para o Cruzeiro, 3×0 no Mineirão, na semana passada. Tem gente apostando na repetição da escalação com o Cruzeiro, se for assim o time entra em campo com: Thiago Rodrigues; Léo Matos, Danilo Boza, Anderson Conceição e Paulo Victor; Yuri Lara, Andrey Santos, Nenê e Marlon Gomes; Aguinaldo e Raniel. Porém, tem quem queira a entrada de Figueiredo desde o início da partida para dar mais velocidade ao ataque.

É a pressão estampada em campo; na prancheta, na arquibancada e na calculadora. Se vencer desliga a maquininha e dorme. Se perder os monstros da permanência da segunda divisão vão roubar os sorrisos e os sonhos e recarregar a formula cruel do fracasso. Que Nossa Senhora das Vitórias nos afaste deste mal. Amém!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.