Sport tem pior cenário financeiro dentre os 20 principais clubes do Brasil; veja o ranking das dívidas

Um estudo realizado pela consultoria Ernst & Young aponta o Sport como dono do pior cenário financeiro entre os 20 clubes mais bem colocados do ranking da CBF. Com R$ 178 milhões de endividamento líquido (todas as dívidas do clube), o Leão tem um passivo 4,53 vezes maior que a receita gerada pelo clube, em 2019: R$ 39 milhões.

O cenário do Sport fica ainda mais complicado, quando o balanço financeiro divulgado pelo Rubro-negro, em abril, aponta para uma dívida a curto prazo (que precisa ser paga em até 12 meses) de R$ 145 milhões.

Ainda de acordo com o levantamento da empresa, quando a análise da relação entre dívidas e receitas é feita sem contar com negociações de jogadores (ou seja, olhando apenas a receita recorrente), o Sport é ultrapassado pelo Botafogo, que aponta um débito 5,60 vezes maior que o faturamento.

O estudo exemplifica como a captação de receita é o gargalo nas contas do Rubro-negro. Isso porque, se olharmos as dívidas totais dos clubes, o Sport aparece apenas na 15ª posição do ranking. No entanto, tem a terceira pior receita. Com R$ 39 milhões, o clube fica à frente de América-MG, com 32, e Atlético-GO, 19. O trio, é importante frisar, disputou a Série B no ano passado – logo, teve receitas menores.

Vale destacar que o panorama de 2019 ganhou um abalo em 2020. Isso porque, embora tenha projetado R$ 61 milhões de receita líquida no orçamento para a temporada, a paralisação do futebol, em decorrência da Covid-19, fez o clube deixar de receber de todos os patrocinadores. Além da queda drástica que terá em relação à venda de ingressos. Uma vez que as partidas devem voltar sem a permissão de público no estádio.

O índice de endividamento líquido dividido pela receita total em 2019

  1. Sport: 4.53
  2. Botafogo: 4.29
  3. Vasco: 2.97
  4. Cruzeiro: 2.76
  5. América-MG: 2.57
  6. Fluminense: 2.42
  7. Atlético-MG: 1.85
  8. Internacional: 1.80
  9. Corinthians: 1.79
  10. Atlético-GO: 1.47
  11. São Paulo: 1.31
  12. Bahia: 1.18
  13. Santos: 1.10
  14. Grêmio: 0.89
  15. Palmeiras: 0.78
  16. Athletico-PR: 0.71
  17. Flamengo: 0.53
  18. Goiás: 0.50
  19. Fortaleza: 0.22
  20. Ceará: 0.15

Ranking do endividamento líquido pela receita recorrente (que exclui negociação de atletas)

  1. Botafogo: 5,60
  2. Sport: 4,53
  3. Cruzeiro: 4,41
  4. Fluminense: 4,02
  5. Vasco: 3,17
  6. América-MG: 2,96
  7. Atlético-MG: 2,64
  8. Internacional:
  9. Santos: 2,39
  10. Corinthians: 2,01
  11. São Paulo: 1,82
  12. Bahia: 1,55
  13. Atlético-GO: 1,52
  14. Grêmio: 1,23
  15. Athletico-PR: 1,08
  16. Palmeiras: 0,94
  17. Flamengo: 0,78
  18. Goiás: 0,51
  19. Fortaleza: 0,23
  20. Ceará: 0,17

O ranking de endividamento líquido total

  1. Botafogo: R$ 819 milhões
  2. Cruzeiro: R$ 799 milhões
  3. Internacional: R$ 794 milhões
  4. Corinthians: R$ 765 milhões
  5. Atlético-MG: R$ 656 milhões
  6. Fluminense: R$ 642 milhões
  7. Vasco: R$ 639 milhões
  8. Flamengo: R$ 505 milhões
  9. São Paulo: R$ 503 milhões
  10. Palmeiras: R$ 501 milhões
  11. Santos: R$ 440 milhões
  12. Grêmio: R$ 410 milhões
  13. Athletico-PR: R$ 279 milhões
  14. Bahia: R$ 224 milhões
  15. Sport: R$ 178 milhões
  16. América-MG: R$ 82 milhões
  17. Goiás: R$ 50 milhões
  18. Atlético-GO: R$ 28 milhões
  19. Fortaleza: R$ 25 milhões
  20. Ceará: R$ 14 milhões
 — Foto: Infoesporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito