Servidores aderem a ato nacional no dia 24 contra governo Bolsonaro

Categorias do serviço público do país vão aderir a uma mobilização nacional das centrais sindicais e movimentos populares marcada para o dia 24 de março contra o governo Bolsonaro. O ato terá como principal pauta os pedidos de lockdown nacional, auxílio emergencial no valor de R$ 600 e a aceleração da vacinação.

Os servidores decidiram reforçar o movimento diante do avanço da PEC Emergencial (186) – que promoverá um longo período de arrocho – e da proximidade de votação da reforma administrativa (PEC 32). As categorias pretendem ainda intensificar as articulações no Parlamento para evitar a aprovação da reforma.

“Não vamos fazer exatamente a mesma coisa que eles. Vamos ter evento próprio, mas no mesmo dia, para reforçar o descontentamento do serviço público com o governo Bolsonaro”, declarou o presidente do Fórum Nacional das Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), Rudinei Marques. “A ideia é juntar forças para que a gente tenha condições de enfrentar de forma mais articulada, inclusive com parlamentares progressistas, a reforma administrativa, que vai se seguir à aprovação da PEC 186”, ressaltou. 

No Rio de Janeiro, o Fórum Permanente dos Servidores Públicos Estaduais (Fosperj) também vai participar do movimento. O Fosperj frisou que, além de reivindicar a campanha de vacinação para toda população, a ampliação dos leitos no SUS e o auxílio de R$ 600 até o fim da pandemia, vai protestar contra a reforma administrativa e a privatização de instituições públicas, como a Cedae.”O Fórum pede para que toda população fluminense se mobilize para a luta, visto que as pautas são de interesse público e reverberam em todo cidadão e cidadã que precisa do serviço público para garantir seus direitos”, declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: